Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

A França é o segundo país europeu a votar pela proibição dos véus islâmicos em locais públicos. O primeiro foi a Bélgica.

Dizem os polìticamente corretos, e hipòcritamente muito mal resolvidos, que isso é um absurdo, pois todas as pessoas têm o direito de manifestar pùblicamente sua religião.

Nesse caso, quero mostrar a demonstração de carinho que alguns maridos muçulmanos paquistaneses têm por suas mulheres, na curta seqüência de fotos de Nicholas D. Kristof, de 2008, realizada no Paquistão, que selecionei para mostrar ao público deste blogue.

Lógico, há outras fotos de Kristof, e há muitas outras mulheres que não se deixaram fotografar. Além de muitíssimas outras mais, em outros países, que ele nem chegou a procurar. Ou seja, a amostra é muito pequena.

Apreciem a arte dos rostos das mulheres muçulmanas, e vejam porquê é tão importante o uso do véu.

Eu pergunto: até onde vai o limite da tolerância?

Se ela não existe para os ocidentais que viajam para os países islâmicos, e tampouco para muitos dos residentes que tiveram a infelicidade de nascer lá, como essas mulheres mutiladas por parentes, ou os adúlteros apedrejados, ou os homossexuais enforcados, para quem vale a regra da tolerância? É preconceito alguém ser contra essas atitudes de religiosos fanáticos? Para os governos corruptos e exportadores de petróleo?

Leia mais sobre o assunto em
https://boppe.wordpress.com/2013/11/16/veus-para-muculmanas/

Anúncios

Comentários em: "A burca e o véu islâmico – na Europa e em outros lugares" (1)

  1. Além de outras infelizes que NUNCA terão a chance de serem fotografadas. Porque, ou estão mortas, ou vivem em cativeiro igual bicho, desejando todos os dias de sua vida que a morte lhes tenha compaixão.

    Região escrota. Tudo errado.

    “Deus” ajude que sejam sufocados por essa nova era de transição que o mundo se encontra. E que um dia possamos viver em um mundo que tenha como “religião” apenas a busca pelo desenvolvimento exponencial da ciência do século XXI.

    Curtir

Os comentários estão desativados.

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: