Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

distorções na história

Ao ler comentários de matérias de jornais, fico com a clara sensação de que a história tem sido – propositadamente – distorcida para ensinar pré-conceitos aos brasileiros.

Coisas do tipo: foi o governo militar que instituiu a polícia militar (nome tìpicamente brasileiro, já que em outros países polícia militar é a que cuida dos militares, aqui dividida em Polícia do Exército, Polícia da Aeronáutica e Polícia do Batalhão Naval).
Ou de que três senadores por Estado é invenção do mesmo governo militar.
A distorção da representação de deputados federais entre os estados também é um tema que repetidamente é mencionado de forma errada, como se isso fosse algo que surgiu nos últimos 50 anos, e não um processo que se montou desde a proclamação da República.

Que tal as pessoas usarem a infernet para pesquisar, para ler textos autênticos, e não crer inteiramente em aulinhas de professores de cursinho ou em jornalistas ideològicamente comprometidos?

Que tal sentar ao lado do vovô e ouvir as histórias que ele tem para contar sobre como era a vida antes do nascimento do neto-prodígio, que escreve “descente” quando quer se referir a algo “decente”?

Se quiserem, podem procurar aqui mesmo no blog os comentários que fiz sobre todas as constituições do Brasil, e ressalto, outra vez, que os textos integrais dessas constituições estão à disposição na internet.

E não confundam polícia judiciária (a investigativa) com a polícia de prevenção, que tem dentre suas variantes as diferentes gendarmerias e os carabineiros de alguns países, que inclusive usam tanques e outros armamentos tìpicamente de guerra. A simpática Polícia Montada canadense não é uma instituição civil, no sentido de oposição a militar, e muito menos esteve isenta de atos de violência (ou truculência, como gostam de repetir nossos enpreimçeiros e ativistas) em suas operações.
E o que será que significam os títulos hierárquicos de major, capitão, tenente, sargento e cabo, em tantas corporações policiais de estados dos EUA? Erros de filmagens?
Não somos os únicos, portanto, a ter estrutura militar em órgãos da polícia. Se os ONGeiros e juristas europeus querem nos dar regras, poderiam começar a reforma pelos países do próprio continente, como exemplo. Esse resquício militar nas polícias é generalizado, e na verdade não sei se é pior do que a estrutura sindicalizada que temos nas polícias civis do Brasil, que passam tanto tempo em greve, sem atendimento à população.

Anúncios

Comentários em: "distorções na história" (1)

  1. Pena que você deteste o FACE; pois é para isso que o utilizo nestas horas.
    Isso que você escreveu é digno de um espaço em jornal (jornal sério que já não existe mais). Vimos e ouvimos tanta besteira que eu já não escuto mais notícias.
    Jornalista adora achar que é médico, engenheiro, advogado, pois as perólas que soltam são maravilhosas. Outro dia no jornal da manhã da rede Bobo, a instalação da rede subterrânea da ELETROPAULO na cidade. Deu uma de Cristo na cruz: “Perdoá-los…eles não sabem o que falam”. Quem é do ramo
    sabe que se fosse para instalar levaríamos anos e altos investimentos para executar. Tudo é uma questão de infraestrutura a ser planejada no início das instalações. Em São Paulo, quando a LIGHT chegou, iniciou o processo, pois o Centro de São Paulo e Região da Paulista é subterrâneo, mas parou devido ao
    alto custo e não conseguia acompanhar o crescimento da cidade. É como você mesmo disse acima; não fazem pesquisa de nada e vão soltando besteira.

    Curtir

Os comentários estão desativados.

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: