Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Arquivo para abril, 2014

coincidência de eleições

Não vou falar da abominável coincidência das eleições com os anos de Copa do Mundo. Isso é outro assunto: lavagem cerebral nos eleitores.

Não, o que quero tratar é a coincidência das eleições do legislativo e das do executivo.

A cada quatro anos, temos as eleições para presidente da república, governadores, senadores, deputados federais e estaduais.

Alternando, em outros anos pares, também a cada quatro anos (anos de Olimpíadas), temos as eleições para prefeitos e vereadores.

Que tal nossos “nobres” políticos enfrentarem o descontentamento popular, ou receber o apoio, se for o caso, e aprenderem a fazer política, com jogo de cintura?

Eleições para o poder executivo separadas das eleições para o poder legislativo.

O presidente está fazendo má administração? Então a população elege um congresso de oposição, para ele “dançar miudinho” e perder a empáfia. O mesmo para prefeito e para governador.

O presidente é confiável? Então a população vota em um legislativo que o apóie.
As eleições seriam feitas de acordo com os poderes – coincidindo para os cargos do executivo, e depois coincidindo para os cargos do legislativo.
Não como agora, eleições da esfera federal e estadual em um biênio, e eleições para a esfera municipal no outro.

Lembro-me de que a Constituição de 1946 não estabelecia qual a duração do mandato dos governadores. Havia estados em que os governadores eram eleitos por quatro anos, e outros por cinco anos. Evidente que os congressistas que deram o golpe constitucional em 1987/1988, legislando em causa própria (a tal “constituição cidadã”),  nunca permitiriam uma “libertinagem” como essa.

É apenas uma idéia, claro, e é mais claro ainda que isso não é do interesse de suas excremências, que teriam de trabalhar sem a certeza da compra de votos nas bancadas do legislativo, e sem decisões que contrariam os pareceres negativos de contas rejeitadas.

Sobretudo uma utopia, já que no Brasil partidos políticos são apenas amontoados de letras compondo siglas.

 

Anúncios

Os países mais miseráveis do mundo

O CATO Institute, “think tank” de liberalismo econômico, elaborou um estudo sobre miséria em 90 países do mundo, de acordo com os seguintes parâmetros: inflação, desemprego, taxa de juros e crescimento do PIB.

Com a coleta dos dados referentes a 2013, chegaram à seguintes relação, onde estão assinalados o índice obtido e o fator que mais influiu na tabela:

90 – Japão – 5,41 – desemprego;
89 – Usbesquistão – 5,70 – taxa de juros;
88 – Taiwan – 6,13 – desemprego;
87 – Cingapura – 6,38 – taxa de juros;
86 – Coréia do Sul – 6,77 – taxa de juros

15 – Croácia – 30,5 – desemprego;
14 – Chipre – 30,7 – desemprego;
13 – Turquia – 32,7 – taxa de juros;
12 – Territórios Palestinos – 32,9 – desemprego
11 – Macedônia – 35,7 – desemprego;
10 – Grécia – 36,4 – desemprego;
9 – BRASIL – 37,3 – taxa de juros;
8 – África do Sul – 37,4 – desemprego;
7 – Espanha – 37,6 – desemprego;
6 – Egito – 38,1 – desemprego;
5 – Jamaica – 42,3 – taxa de juros;
4 – Argentina – 43,1 – inflação;
3 – Sérvia – 44,8 – desemprego;
2 – Irã – 61,6 – inflação;
1 – Venezuela – 79,4 – inflação.

Impressiona o salto dos índices referentes aos dois piores colocados no lista, com relação aos anteriores.

 

 

 

Essa estranha justiça para inglês ver

Em 2003, o deputado inglês Chris Huhne foi apanhado por um radar em alta velocidade. Na época, a então mulher dele, Vicky Price, assumiu a culpa.
O tempo passou e aquele deputado passou a Ministro da Energia, só que o seu casamento acabou. Vicky Price decide vingar-se e conta a história à imprensa.
Como é na Inglaterra, Chris Huhne, Ministro, demite-se primeiro do ministério e depois do Parlamento.
ACABOU A HISTÓRIA?
Qual quê! Estamos na Inglaterra…
… E na Inglaterra é crime mentir à Justiça. Assim, essa mesma Justiça funcionou e sentenciou o casal envolvido na fraude do radar em 8 meses de cadeia para cada um e uma multa de 120 mil libras.
Segredo de Justiça? Nem pensar, julgamento aberto ao público e à imprensa.
Quem quis, viu e ouviu.
Segurança nacional? Nem pensar, infrator é infrator.
Privilégio porque é político? Nada!
E o que disse o Primeiro-Ministro David Cameron quando soube da condenação do seu ex-ministro?
‘É uma conspiração dos meios de comunicação para denegrir a imagem do meu governo?” ou “É um atentado contra o meu bom nome e dos meus Ministros”?
Errado. Esqueçam, nada disso!
O que o Primeiro-Ministro David Cameron disse não foi acerca do seu ex-ministro, foi sobre o funcionamento da Justiça. E o que disse foi:
‘É bom que todos saibam que ninguém, por mais alto e poderoso que seja, está fora do braço da Lei.
Aqui, não preciso dizer como agem ótóridades e ex-ótoridades para reclamar dos que os acusam de, no mínimo negligência e mentiras, de quererem impingir “malfeitos” a “empresas sólidas” ou a contratos com empresas de publicidade.
Esses ingleses monárquicos são mesmo um bando de atrasados, não são?

O que fazer em junho / julho, durante a Copa?

Em conversa com uma prima, que há anos torce sempre contra o Brasil durante as Copas do Mundo, perguntei a outras pessoas quais os planos para o período da Copa, em junho/julho.

Respostas:

  • Eu gosto de futebol e vou torcer pelo Brasil.
  • VOU TRABALHAR
  • Hie my friend – I’m a fanatic of Brazil.
  • Vou ler Guerra e Paz.
  • Yo soy argentino desde niño. Avante Argentina!!!!
  • Vou torcer pelo melhor do mundo: ARRIBA ESPAÑA!
  • Eu estarei na Itália, gosto de futebol, vou ver os jogos e torcer pelo Brasil.
  • Que o Brasil saia logo no primeiro jogo e que tenhamos uma guerra entre as comunidades.
  • Vou ignorar os jogos. Odeio futebol pois há muito deixou de ser esporte e passou a ser uma manipulação em todos os sentidos.
    Quero levar uma vida normal nesses dias.
    Porém, somando-se aos bárbaros torcedores brasileiros, virão ainda as hordas estrangeiras (argentinos, ingleses, etc).
    Pretendo alugar uma casa nos subúrbios de São João da Curva do Vento e ficar por lá até que tudo passe.
    Buscarei segurança e continuidade de minha rotina.
  • Futebol hoje em dia, só mesmo na Europa, onde há classe e estilo. Não dá para comparar jogos dos campeonatos de lá com os times da América do Sul.
  • Vou assistir em casa, sòzinho. Se estamos com a galera ao lado, a barulheira e a bagunça são tantas que não dá para se prestar atenção no jogo.
  • Agora tenho filho e não vou ficar passeando com ele perto do estádio sabendo que pode acontecer algum confronto.
    Com certeza vou estocar cerveja e colocar a camisa do Brasil, sou brasileiro, e apesar de sabe que isso aqui tem que mudar muito, me orgulho do nosso futebol e de ser brasileiro.
    Se não fosse a corrupção, já seríamos um país de primeiro mundo há muito tempo!
  • Vou para a casa de minha irmã em Cuiabá. Até já compramos ingressos para jogo lá.

O que eu vou fazer?

Nada, como em anos anteriores.

 

Chapa Aécio-Serra

Evito ao máximo falar de eleitorices. Comento alguns assuntos políticos no blogue, mas essa tralha político-partidária a serviço dos três phoderes me dá asco.

Todavia, li nestes últimos dias mais de um “analista” político tecendo loas a uma eventual composição de chapa do PSDB Aécio-Serra.

Pergunto: o que esperam os psdbistas de Higienópolis e arredores? Detonar de vez um partido que anda desacreditado?
Eles ainda acreditam que existe a figura do “shadow cabinet” no Brasil, tal qual no endeusado (por eles) modelo de Westminster?

Em primeiro lugar, é o caso de se perguntar qual o trunfo que Serra detém nas mãos, para conseguir ser sempre “lembrado” pelos colegas como uma “solução”?
Algo de grave ele deve ter, pois após de tantos naufrágios que o partido obteve POR CAUSA dele e da rejeição que provoca na maior parte do eleitorado, algum “discreto charme” deve ter sobre a “burguesia”, apesar de ainda se rotular como ex-presidente da UNE.

Será que os sábios do PSDB não perceberam até agora que o partido precisa se mostrar como oposição, e não como um reles continuísmo do mais do mesmo, com a mesma cantilena dos tempos em que ainda nanavam no colo do PMDB? (Teotônio, Ulisses, Tancredo e outros ilustres mortos)

Outra coisa: ninguém consegue imaginar que é necessário uma política que não atenda apenas aos interesses das grandes metrópoles, mas que convença o interior dos diversos estados?

Bem, deixa pra lá, queria apenas desabafar.
Como diz, porém, um antigo chefe meu: no Brasil temos de prestar mais atenção no nome dos vices na hora das eleições. Não são meros adornos.

 

Dieta do assaí

assai1

Assaí que eu como!

A relatividade da ética

Repasso, como recebi, um e-mail:

“Como trapacear e se manter ético ao mesmo tempo”

Estranho à primeira vista. Mas logo se percebe que, na política, é de suma importância juntar ética e trapaça. Para explicar vou contar uma historieta.
Havia numa cidade dos Estados Unidos uma igreja batista. Os batistas, como se sabe, são um ramo do cristianismo muito rigoroso nos seus princípios éticos.
Havia na mesma cidade uma fábrica de cerveja que, para a igreja batista, era a vanguarda de Satanás.
O pastor não poupava a fábrica de cerveja nas suas pregações..
Aconteceu, entretanto, que, por razões pouco esclarecidas, a fábrica de cerveja fez uma doação de 500 mil dólares para a dita igreja. Foi um auê..
Os membros mais ortodoxos da igrejas foram unânimes em denunciar aquela quantia como dinheiro do Diabo e que não poderia ser aceito.
Mas, passada a exaltação dos primeiros dias, acalmados os ânimos, os mais ponderados começaram a analisar os benefícios que aquele dinheiro
poderia trazer: uma pintura nova para a igreja, um órgão de tubos, jardins mais bonitos, um salão social para festas.
Reuniu-se então a igreja em assembléia para a decisão democrática.
Depois de muita discussão registrou-se a seguinte decisão no livro de atas:
A Igreja Batista Betel resolve aceitar a oferta de 500 mil dólares feita pela Cervejaria, na firme convicção de que o Diabo ficará furioso quando souber que o seu dinheiro será usado para a glória de Deus.

É isso aí…!

Nuvem de tags