Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘Caixa Econômica Federal’

grandes caloteiros

Nenhuma surpresa ao ver a lista divulgada com a relaçåo dos maiores caloteiros do FGTS, publicada no jornal Gazeta do Povo.

Dela constam as empresas aéreas que quebraram (e outras ainda por quebrar), as demonîacas casas de misericórdia, os clubes de futebol, faculdades particulares, e aquele câncer que corrói as entranhas do país, os chamados municípios.

Esporte, o ópio do povo. Basta ver essas dívidas e a canalhice da construçåo de estádios para a copa do imundo.
Prefeituras, a escola de gângsters que apodrece as demais instituiçøes federativas.
Santas casas de administradores preocupados com o enriquecimento, e a saúde financeira de suas famílias, gerindo as entidades pilantrópicas.
Izkolas que vendem canudos no país dos dotôs.

Realmente, quem me conhece, sabe há quantos anos venho falando dessas máfias…

Interessante é ver que a caixa econômica fedemal patrocina essas entidades såo os grandes caloteiros.

 

a farsa do PIB e as distorções em sua interpretação

A falha di çumpallo fez mais uma matéria sensacionalista, como sói ocorrer com nossa enpreimça.

Piauí tem PIB per capita africano, e Distrito Federal, europeu; compare. 

A maior parte dos leitores desinformados pela enpreimça já cai de pau, e escreve que isso é por conta dos salários dos políticos. HAHAHAHAHAHA
Caro leitor, você é um eleitor desinformado. Se há corrupção é porque há corruptores e corrompidos. Se há políticos eleitos é porque o povo votou neles.

Em primeiro lugar, que os políticos são eleitos pelo populacho do voto cabresto de todos os Estados, e mantêm os domicílios em seus locais de origem. Passam menos da metade da semana no DF.

Depois, é claro, que PIB significa produto interno bruto, e é o resultado do produto das empresas. A palavra empresas inclui bancos estatais. Por isso, o PIB do DF é naturalmente alto.
Todo o dinheiro do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal é contabilizado no PIB candango. Da mesma forma, o dinheiro daquela empresa de petróleo estatal que brinca de especulações é contabilizado no PIB fluminense.

Dá para entender a falha no conceito?

Pior ainda é falar em per capita. Qual população? A recenseada e estimada pelo IBGE leva em conta os domicílios, ou melhor, o lugar onde a pessoa tem documentos, pouco importa onde trabalhem?
Não faz muita diferença no âmbito estadual, mas nas pesquisas municipais isso dá uma discrepância fabulosa. No caso, da pesquisa, faria aumentar ainda mais o PIB per capita do DF, já que parte considerável de seus trabalhadores dormem em municípios goianos.

Realmente é necessário que se estabeleça a regra de que todos os brasileiros têm de visitar Brasília de tempos em tempos, para deixar de falar sobre o que não conhecem.

Ah, e para o colunista desinformado, a Suazilândia tem indústrias que foram para lá, no estilo Zona Franca de Manaus, para pagar menos impostos do que na África do Sul. Aposto que o colunista apenas buscou em alguma enciclopédia os dados de PIB per capita de vários países e os inseriu no artigo, sem qualquer outra análise.

PIB per capita

Já ouvi mais de uma vez jornalistas, com o poço de preconceitos que lhes cabe, dizer que o PIB per capita elevado de Brasília (Distrito Federal) deve-ser aos altos salários dos funcionários públicos.

Hoje de manhã, o Ricardo Boechat, disse a mesma patacoada, salientando que em Brasília não há indústrias, agronegócio ou bancos, que justificassem esse número alto no PIB per capita.

Acho que ele nunca ouviu falar do Banco do Brasil (por sinal, o maior banco do agronegócio) e da Caixa Econômica Federal (a principal instituição do financiamento habitacional, e também a que gerencia as loterias), dois “pequenos” bancos que tem sede na capital federal.

Será que ele pensa que o PIB per capita do Rio de Janeiro se deve ao turismo, ou ele já imaginou que o número procede principalmente pelo fato de a cidade sediar a Petrobrás?

Se alguns nababos do Poder Legislativo ou do Poder Judiciário ganham bem, não ocorre o mesmo com os funcionários do Poder Executivo, tanto que a presidente eleita Dilma Roussef já comentou que seria necessário elevar o salário dos ministros. O mesmo já tinha ocorrido antes, com algum outro presidente (Collor ou FHC, não me lembro), porque é difícil alguém se submeter aos ônus do cargo com salário que é mais baixo do que os âncoras da televisão brasileira.

O preconceito da imprensa contra o poder público é simplesmente FODA!

Nuvem de tags