Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘Canadá’

A farra do dinheiro público

O site do Globo tem uma matéria sobre a farra dos salários pagos na cama de veadores de São Paulo.
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/chaveiro-e-garcom-ganham-salario-acima-de-r-14-mil-na-camara-de-sp.ghtml

Não faz muitos dias, tinha lido uma matéria semelhante sobre farra na cama de veadores de Guarulhos. Não encontro agora o link.

Em setembro, os veadores de Santo António da Platina, no Norte do Paraná, foram obrigados pela população a baixar os próprios salários. E depois, em outras cidades houve (houve, não houveram) manifestações semelhantes. Logo depois, o número de cãesdidatos ao cargo caiu abruptamente. Por que seria?
http://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/eleicoes/2016/cidades-baixam-salarios-dos-vereadores-e-maioria-desiste-de-disputar-reeleicao-6px1roaz93guex5yv3ykg7czx

Já nem sei quantas vezes escrevi a respeito dessa excrescência perdulária, verdadeiras escolas do crime, que são as camas de veadores, em geral servindo de trampolim para pulos mais altos, como putados estaduais ou fedemmais.

Alguns estados, como Rio de Janeiro ou Rio Grande do Sul, reclamam da quebradeira, e cortam salários de servidores públicos.
O governo fedemal tenta contornar e lhes dá ajuda.
Vai ajudar também os mais de 5600 municípios que desperdiçam dinheiro com essa parasitagem toda? Sendo que a maioria sequer tem um minimo minimorum de população, e muito menos de arrecadação para se manter, e dependem de repasses das tetas fedemmais do Fundo de Participação dos Municípios – FPM ! (em todas cinco regiões geográficas – Rio Grande do Sul com um número impressionante de casos)
Mais de 1500 municípios não têm sequer 5 mil habitantes.

Já escrevi uma vez sobre a Suíça, país pobre de Terceiro Mundo, como sabemos, que fez uma redução no número dessas entidades perdulárias.
Pois casualmente encontrei na Wikipédia em francês um artigo sobre a redução do número de municípios (communes) naquela país. Depois, em 2015, com aquele çossialista Chicô de Hollande (esquerda caviar, como outros de mesmo sobrenome), houve um ligeiro aumento, outra vez, afinal de contas o dinheiro púbico é para servir de boquinha para amigos e correligionários.
Se bem que lá reduziram o número de regiões administrativas.

Outros países, como Alemanha, Bélgica, Canadá, Dinamarca e até Itália, fizeram a mesma política de redução do número de unidades municipais.
Ou por incapacidade financeira de se manterem, ou pela descaracterização de onde começava uma e terminava outra.
No passado (década de 1930), tivemos no Brasil o caso de Santo Amaro, que foi incorporado a São Paulo.
No entanto, quantos outros casos poderiam ser feitos? Niterói e São Gonçalo, por exemplo.

As regiões metropolitanas, no Brasil, desde a CF 88 ter concedido aos Estados a legislação sobre sua criação, viraram verdadeiros circos. Há casos de regiões metropolitanas em que cada cidade fica a 60 km da mais próxima, ou em que a soma de todos os municípios sequer atinge 200 mil habitantes, ou em que as regiões metropolitanas são maiores do que certos países.
Alto Alegre dista 100km de Boa Vista, sede da região metropolitana (e capital do estado). Rorainópolis e São Luiz (com Z), distam entre si 120 km – e ficam na RM do Sul de Roraima, com espetaculares 52.000 habitantes.
Vale do Paraíba e Litoral Norte, Ribeirão Preto, por exemplo – criadas durante a indi-gestão de Geraldo Alquimista, cada uma com cerca de 15.000 km2, comparáveis com Timor Leste – 14.000km2 e Israel e Eslovênia – 20.000km2, cada.
Sem contar que Jacareí e Bananal, cada uma no extremo oeste e leste da RM do VPLN, distam “apenas” 250 km de Via Dutra.
A RM do Vale do Cuiabá tem “apenas” 75.000 km2, o equivalente à superfície do Panamá. Manaus é “um pouco maior”- sua região metropolitana se expande por 127.000 km2, o mesmo que a Coréia do Norte – isso porque uma decisão judicial retirou dois municípios de sua composição.
Na Paraíba, a região metropolitana de Araruna, tem “gigantescos” 70.000 habitantes, a de Esperança 140.000 habitantes, e a de Cajazeiras 175.000 habitantes (e talvez o dobro de eleitores, não seria de se duvidar).

Resumindo: no Brasil estamos fú e mal pagos. Desde que a pródiga CF 88 inventou que
veador merece salário, assessores, penduricalhos, carros oficiais (com placas pretas), e
que região metropolitana pode ser criada para agradar putados estaduais, independentemente do que diz a geografia da região.

A demo-cracia (o governo do demon) não é linda, no papel?
O contribuinte banca a conta dessa farra com o dinheiro púbico.

 

 

Anúncios

bieber

Perguntaram a uma amiga minha (musicista profissional) o que ela achava da “nova fase, adulta” de Justina Biba.

Ela respondeu ràpidamente:

Seria melhor ele ter morrido na primeira infância…

 

Spock Nimoy

vejam só:

ng4008804

 

Parem de desenhar o Spock / Nimoy nas notas de 5 dólares!

 

Os analistas políticos

Ai, os jornalistas e os “analistas políticos” reclamam que a re-possuída presidente não deixa os sinistros trabalharem como eles querem.

Eles – jornalistas e ministros – ainda não aprenderam que quem escolhe, nomeia e demite sinistros é o presidente, no sistema político daqui.
São eles que têm de se adequar às idéias da dona do cargo, no caso,
e não o contrário.

Não estão contentes com isso?
Mudem para o Canadá.
Lá a monarquia parlamentarista funciona de outro modo.
E mesmo assim a legislação permite fraudes, como eleger quem não ganhou.

Ah, enquanto estiverem vivos os políticos que temos,
sou contra o parlamentarismo. E contra o voto distrital puro.
Só depois que as guilhotinas forem recuperadas dá para se pensar no assunto no Brasil.

Aos sinistros ministros, vai um recado:
vocês não vão mudar o penteado da dona do pedaço,
nem vão dar receitas de moda para aquele monte de carne flácida.
Contenham-se em seu papel de empregadinho da patroa.
Ou procurem outra ocupação,
pois este é o sistema político que vivemos desde 1889.

Charles of Wales & Hillary of Clinton

Muito curioso como a enpreimça é uma coisa (coisa mesmo) tendenciosa e que não deve ser levada muito a sério.

Jornais publicaram com algum destaque que o Príncipe de Gales, herdeiro do trono britânico, teria comparado Putin a Hitler, em razão da crise na Ucrânia.
Na Folha de São Paulo, um leitor inseriu um comentário, com assinatura de quem não sabe de nada sobre o funcionamento de instituições fora do Brasil, e afirmou que

O comentário desse cara e o de um leão de chácara de boate falida tem o mesmo peso!

Curiosamente, hoje encontrei uma matéria assinada no Estadão, em que o professor da USP e da PUC Oliveiros Ferreira trata da geopolítica, e inicia com

Muitos, como Hillary Clinton, compararam a crise na Ucrânia e a incorporação da Crimeia ao Estado russo à crise de 1938, quando Hitler avançou sobre a Checoslováquia. Esqueceram-se de que a Grande Política então se fazia por pactos e alianças e, sobretudo, de que não havia a arma nuclear.

Bem, a pré-candidata ao trono americano afirmou isso, e não vi o mesmo destaque na imprensa, e muito menos palavras de gozação contra a afirmação clintoniana.

Por que ela deve ser levada a sério, enquanto que o “par” do outro lado do Atlântico é motivo de chacota?

Ah, por que ela é de uma república, e ele representa uma monarquia atrasada…

Algumas pessoas insistem em ignorar que as monarquias européias (exceto aquela coisa sem tradição na Espanha, cheia de corrupção; mas Espanha, como sabemos, é um país do Norte da África) são muito, mas muito mais democráticas, do que republiquetas na América Latrina ou na África. (incluir na primeira categoria os países que algumas pessoas jocosamente chamam de “colônias”- Canadá, Austrália e Nova Zelândia).

Rei é apenas enfeite? Sei… é enfeite mas de muito significado na opinião pública.

Ninguém reparou, mas a seqüência de atos contra a ditadura da primeira-ministra na Tailândia (irmão de um político exilado, por corrupção) – primeiro sua destituição e agora o lei marcial, toque de recolher e tudo mais, veio depois de demonstrado, durante o 60º aniversário da coroação do rei, que há muito apoio do povo à monarquia – os amarelos -, capaz de se contrapor ao peso da turma populista dos depostos – os vermelhos.

Do mesmo modo, a enpreimça rotula como extrema-direita os partidos eurocéticos. Certamente são jornalistas vesgos, que não sabem o que significa direita e esquerda. Ser eurocético não é ser de extrema-direita. Ou será que não pode haver vozes dissonantes na União Européia, como ocorre no “super-bem-sucedido” Mercosul.

Só como apêndice e curiosidade: sabiam que a família real sueca vai à fila de embarque nos aeroportos como qualquer passageiro? Que paga multas de trânsito?
Sabiam que Harry foi em vôo de linha aérea barata para participar de cerimônia oficial na Estônia? Do mesmo modo em que, quando uma semana antes foi à festa de um amigo em Miami, viajou também em avião comercial, a contragosto da então namorada.
Enquanto isso, na república popular democrática do Brasil, um senador usou avião da FAB para fazer implante de cabelos, um governador já pagou com verba pública jatinho para levar a sogra a passear em Paris, um candidato “socialista” ficou zangadinho por terem mostrado foto dele em um jatinho “amigo”, o governador de um outro estado usava helicóptero oficial para levar babás e cachorros à praia, ministros e deputados utilizaram (não raras vezes) avião da FAB para ir a jogo de futebol, …..  Desse tipo de democracia estamos cansados..
Não são necessários mais exemplos para vermos quem são parasitas.

Vitiligo

Há pouco mais de um ano escrevi sobre tatuagens e vitiligo.

Pois vejo agora uma notícia de uma jovem mulher escolhida para ser modelo, com vitiligo e tudo mais.

Parabéns Winnie Harlow, anteriormente Chantelle Brown-Young.

E como sempre digo:

meu vitiligo (natureba) é mais bonito do que tua tatuagem (feita em salão).

 

Município, a célula cancerosa da metástase brasileira da corrupção

Já escrevi aqui nem sei quantas vezes: Município, a célula cancerosa da metástase brasileira da corrupção.

Pois há alguns dias vimos a movimentação daquele partido que é aliado ao governo desde o tempo em que os antepassados de Ararigbóia (não importa qual o governo – hay gobierno? soy su aliado) para derrubar o veto que a presidente, em um surto de lucidez, teve contra o projeto de emancipação de distritos que só viriam a se somar na lista dos mamantes do Fundo de Participação dos Municípios.

Agora o Globo publicou uma matéria sobre centenas de municípios onde não existem dependências bancárias.

A principal função dos municípios, como sabemos, é dar emprego aos vereadores, carros oficiais aos secretários municipais, e cargos comissionados aos cupinchas do prefeito.

Como li em um comentário da matéria, é provável que os salários desses sangue-sugas seja depositado diretamente na Suíça ou em Cayman.

Vamos fazer uma limpeza e eliminar alguns tantos milhares dessas células? É isso o que tem sido feito em países ricos, que não desperdiçam dinheiro com obras inúteis nem com instituções autófagas. Suíça, França, Canadá, Alemanha, por exemplo. Quimioterapia e radioterapia nas prefeituras JÁ!

-=-=-

(entre parênteses) – Eu era vizinho de um senhor, prefeito de um lugarejo por aí. Ele é prefeito lá, mas morava aqui em Brasília, no mesmo prédio em que eu. A prefeitura fica a mais de 400 km da casa do prefeito. Que aliás nunca se enrubesceu em exibir a placa de automóvel preta, que significa que é de um “ótóridade”. Há algum tempo ele se mudou para uma cobertura em outro prédio. Deve ter um bom salário. Ou melhor, nem tanto assim, pois o técnico de computador aqui da rua comentou que a primeira-dama tinha pedido ajuda para a instalação dos novos Macs, cuja nota fiscal, estranhamente, estava em nome da prefeitura, e não no de uma pessoa física.

Bem, mas isso é só uma històrinha mal-intencionada que o técnico deve ter inventado. Claro.

Nuvem de tags