Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘cartão de natal’

Cama detrital

Durante a constituinte do auto-golpe do cãogresso de 1987, um advogado brasiliense (Sigmaringa Seixas) inventou que a autonomia político-administrativa do Distrito Federal deveria igualá-lo a um Estado (distrito não é Estado, parece difícil entender isso – em Washington D.C eles sabem isso, mas, claro, os Estados Unidos, a Suíça, o Canadá, não são exemplos de democracia, tanto que esses dois últimos sequer possuem distrito federal).

Na base da pior demagogia, foi criada uma câmara de vereadores com o pomposo título de câmara legislativa do DF, também conhecida como Casa dos Horrores. Até cartão de natal eles mandam (com dinheiro público), para pessoas que jamais votariam neles. Escrevi sobre essa nojeira em 2008, 2009, 2012 e 2014 – é só clicar na tag.

Há uns 9 ou 10 anos, um apresentador de televisão encheu a cidade de faixas dizendo que era pela extinção da tal câmara, uma verdadeira cama suja de detritos.

O tal apresentador foi eleito … … deputado distrital – KKKKKKKKK, e depois, com base no lobby dos colegas da enpreimça, virou deputado federal.

Hoje em dia ele é chamado de senador, e os coleguinhas fazem propaganda dizendo que é o mais “competente” dos parlamentares.

Infelizmente, até hoje Reguffe nunca pensou em cumprir a promessa de apresentar projeto de lei que acabasse com a imoralidade da cama detrital.
Mais um blefe. Mais uma propaganda enganosa. Ele bem sabe que não tem articulação para qualquer proposta nesse sentido.
Clodovil era bem mais corajoso, já que tinha apresentado um projeto de reforma do legislativo, que reduziria o número de deputados federais de 513 para 400. Pena que morreu e o projeto simplesmente foi atirado à lixeira.

Enquanto isso, o desperdício de dinheiro continua. Afinal de contas, povo existe mesmo é para pagar imposto e pagar as Versalhes da vida.

Anúncios

outra vez, cartão de natal

Como sói ocorrer durante a época dos festejos de momo, ou de noel, não sei direito a diferença,
recebi um cartão enviado com MEU DINHEIRO, para fazer propaganda de um ilustre desconhecido,que sequer teve a dignidade de dizer a que sigla de aluguel está afiliado, para conseguir ter sido eleito.

Uma vez foi o já cassado raad massouh, outra vez foi o desconhecido adelmir santana.
Desta vez tive o desprazer de conhecer um tal olair francisco.

Maldita constituição de 1988 que deu autonomia política a um quadradinho que aparece no mapa de Goiás, e criou a famigerada casa dos horrores, também chamada de câmara legislativa do detrito fede insuportàvelmente mal.
Claro, os governantes sequer pagam o pessoal que deveria fazer a coleta de lixo.
Tanto os do executivo como os do legislativo preferem gastar com coisas “mais importantes”, como festas na Esplanada – com direito a queima de dinheiro e tudo mais! – , construção de prédios nababescos e de outro “centro administrativo” (de novo!), e, é claro, com a confecção e o envio de cartões de natal.

MALDITOS SEJAM!

 

Cartão de natal 2012

Cheguei em casa e encontrei um cartão de natal enviado com MEU dinheiro, de um sujeito que já esteve envolvido em mil e um escândalos no senado fedemal, e, apesar disso = por isso mesmo, conseguiu a boquinha de ser eleito deputado detrital.

Senhor Agaciel, vá se catar!

Não gosto de políticos que usam verbas de gabinete para encher a pachorra de quem não quer ter qualquer contato com vossa excremência.

Só posso me lembrar do abominável Raad, que nega que tenha culpa nas verbas aplicadas, e diz que o responsável é o próprio chefe de gabinete dele.

Caráter é matéria faltante em nossos políticos. O pior de tudo, falta nos eleitores.

cartão de natal (e dinheiro público)

Recebi cartão de natal do senador Adelmir Santana, que juro que não sabia que existia e que representa o DF, pelo DEMo. Nascido em Nova Iorque, com I-QU, pois fica no Maranhão, foi eleito para o senado sem nenhum voto, vindo a ocupar a cadeira por ser o suplente do atual vice-governador do Detrito que FedeMal, construtor Paulo Octavio.

O cartão foi impressos com o símbolo do “Democratas”, ou seja, provavelmente com o fundo partidário que sai do orçamento que é coberto com nosso dinheiro. O selo foi pago pela franquia que os senhores senadores têm nos Correios para gratuitamente fazer propaganda, com o nome de “atender as bases eleitorais”.

Reforma política já. Eliminação das suplências no Senado que FedeMal (no mínimo). Correio boca-livre para todos. Gráfica de graça para todos.

E feliz natal para ninguém, que eu não suporto essa festa careta, mal copiada das  saturnálias romanas, da festa de Mitra, e de todas as outras festas de solstícios, quando os babacas do hemisfério norte tinham medo da noite mais longa do ano.

Mundo imundo.

Nuvem de tags