Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘Copa 2014’

Forbes e nós

A revista Forbes, como em todos os anos, fez a lista dos brasileiros com maior celebridade do ano, com base em sites, tuitadas e outras internetices, sem qualificação do conteúdo.
O resultado foi, respectivamente, Neymar, David Luiz e Paulo Coelho, sendo que os dois primeiros tiveram zilhões de negativadas durante a copa do mundo, e o primeiro ainda contou na rede mundial de fofocas com o namoro com Bruna Marquezine, que por isso ficou na lista da Forbes.
Dizem que essas pessoas exercem influência sobre nós. Espero que não.

Pedi a 70 pessoas que conheço que fizessem a lista dos brasileiros vivos que preferem ou que mais detestam, lembrados espontâneamente por eles.
Com base nessas respostas, tive até mesmo uma surpresa, pois a pessoa mais mencionada positivamente foi a atriz Marieta Severo, protagonista no seriado de televisão “A Grande Família”, cuja última temporada ocorreu neste ano.
Em segundo lugar, o brasileiro mais mencionado, de forma positiva, foi o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa. Na relação dos cinco mais lembrados também estão Ivete Sangalo, Marco Nanini (A Grande Família) e Zico.

Na coluna de negativados, o primeiro lugar coube à re-presidenta, seguida da ex-re-presidente e do líder religioso Edir Macedo. Quarto e quinto lugar: Paulo Maluf e Ana Maria Braga!
Felipão fez parte das duas listas: a positiva e a negativa.

Comparem a lista da Forbes (em ordem alfabética), “minha” lista dos positivados e dos negativados.

Forbes
1 Neymar
2 David Luiz
3 Paulo Coelho
4 Ivete Sangalo
5 Gisela Bündchen
Alexandre Pato
Angélica
Bernardinho
Bruna Marquezine
Caetano Veloso
Chico Buarque
Cláudia Leitte
Daniel Alves
Dunga
Felipe Massa
Gilberto Gil
Kaká
Luciano Huck
Luís Felipe Scolari
Muricy Ramalho
Pelé
Roberto Carlos
Romário
Ronaldo
Sabrina Sato

Positivos:
1 Marieta Severo
2 Joaquim Barbosa
3 Ivete Sangalo
4 Marco Nanini
5 Zico
Ana Paula Arósio
Astrud Gilberto
Chico Buarque
Drauzio Varella
Dunga
Fernanda Montenegro
Fernando Henrique Cardoso
Flavia Alessandra
Gilberto Gil
Giovanna Antonelli
Gisele Bündchen
Gustavo Kuerten
João Gilberto
Joyce Pascowitch
Kaká
Luís Felipe Scolari
Lulu Santos
Maria Rita
Muricy Ramalho
Ney Matogrosso
Paula Fernandes
Raí
Reinaldo Azevedo
Ricardo Boechat
Sebastião Salgado
Sílvio Santos
William Waack

Negativos:
1 Dilma
2 Lula
3 Edir Macedo
4 Paulo Maluf
5 Ana Maria Braga
Anitta
Bóris Casoy
Danilo Gentile
Djavan
Eurico Miranda
Faustão
Fernando Beira-Mar
Fernando Collor
Fernando Mitre
Galvão Bueno
José Dirceu
José Genoíno
José Sarney
Leonardo Sakamoto
Luciana Genro
Luís Felipe Scolari
Luís Fernando Guimarães
Marina Silva
Marta Medeiros
Paula Fernandes
Paulo Coelho
Paulo Silvino
Pedro Bial
Pelé
Regina Casé
Renan Calheiros
Romero Jucá
Suzane von Richtofen
Xuxa

Conclusões:
1. A lista de meus amigos deu o nome de brasileiros mais relevantes do que a da Forbes.
2. A internet e seus acessórios não são mais confiáveis do que o boca-a-boca.
3. Ser muito comentado não significa ser influente.

 

 

O mesmo assunto, e duas visões: matéria irrelevante

O estádio Mané Garrincha, de Brasília, foi um dos mais conectados da Copa do Mundo. Ao todo, 875 mil telefonemas de celular foram originadas ou recebidas na arena. Cerca de oito milhões de fotos foram enviadas pelo celular durante os jogos, uma média foi de 16,7 imagens por torcedor, rendendo o segundo maior número registrado, atrás só do Maracanã. O Mané Garrincha também só ficou atrás da arena cairioca em números de check-ins no Facebook:  foram 134 mil durante a Copa.

(observação: o erro cairioca consta do original, neste momento em que estou no ctrl C ctrl V)

Conforme eu já tinha escrito para meus amigos:
durante aquele fatídico mês da qopa de todos os rhoubos, em dias de jogos im brazylha, recebia trocentas mil chamadas de números errados, que congestionaram a rede.
Tive de aprender a deixar o amebular desligado durante os jogos im brazylha.
Seriam pobrêmas na rede? pois pobre não sabe usar o amebular, i tékra carqé coiza; ou seria a falta de torres?
Isso o geornalista da grobo não mencionou.
Essa seria a parte relevante do assunto.

 

 

 

Acabou a copa

Acabou a copa.
Os patriotas quadrienais já podem descansar.
As mulheres, sejam as com “barriguinhas saradas feito queijo-cheddar-saindo-do-sanduíche”, ou magrelas anoréxicas do tipo “modelo”, já podem guardar as blusinhas amarelas.
Os petzinhos do coração da mamãe e do papai já não precisam mais usar casaquinhos com a bandeira do Brasil.
Os atléticos senhores de ventre de cerveja podem trocar aquela autêntica camiseta BRAZIL meidinxina.
Jornalistas, que antes da copa cuidavam de horóscopos, não inventarão mais teorias de “por que as traves do gol se mexeram durante a partida?”.
Designers tão preocupados com o bem-estar do público, poderão combinar com as indústrias a reposição das cadeiras de veludo que se quebraram com o inesperado agito dos torcedores.
Aliás, quanta frescurite. Lembram quando os estádios (estádios, não essas coisas chamadas de “arenas”) tinham arquibancadas e gerais feitas de cimento e madeira dura?
Não aconteciam essas “depredações de mobiliário”.
Hoje em dia, a FIFA, os ONGeiros e os políticos estão preocupados com o bumbum (como eles dizem, pois, com a infantilização do mundo, ainda não aprenderam as palavras nádegas e glúteos), e inventaram as tais salas de espetáculo com mobiliário descartável.
Por que não voltar a fazer estádios de cimento e vender almofadas de plumas de ganso para os sensíveis bumbuns dos neo-torcedores refinados?
Lógico que alguém ganha com a venda dessas cadeiras que terão de ser repostas.
Daqui a quatro anos, já que a copa é apenas um espetáculo preocupado com a venda dos direitos televisivos, melhor seria fazer as partidas em salas de concerto.
Já que a preocupação é com os direitos televisivos, que façam em espaços sem público.
Garanto que não haverá risco às cadeiras.

As redes de tv já podem voltar à programação normal. Quer dizer, quase normal, pois entra em alguns dias a propaganda eleitoral muito bem remunerada por nossos impostos.
Será que as camisetas de partidos políticos decorarão as barriguinhas gordas ou “saradas”?
Será que os patriotas vestirão seus auaus com bandeiras dos partidos políticos.

Esse patriotismo me lembra uma famosa história:
a tal “pátria de chuteiras” declarou guerra a uma potência qualquer e a família foi reunida para uma decisão coletiva.
Agora é hora de “ou mato ou morro”.
Fugimos para o mato ou para o morro?

Imagem

Participação do Brasil em Copas do Mundo

image003

A Copa e a economia

Uma das muitas mentiras que se dizia a favor da copa do mundo no Brasil é que ela serviria para alavancar a economia do país.

Ontem, comentei por e-mail com amigos que Brasília, por conta de jogos na cidade, e de jogos do Brasil, virou uma cidade fantasma.

Restaurantes comuns fechados (nem quero imaginar aqueles usados pelos políticos, que só devem reabrir em fevereiro de 2014, depois das campanhas e das eleições).
Sorveterias às moscas.
Cafés sem clientes.
Ruas sem ônibus.
O edifício onde moro semi-vazio: muitos moradores foram para hotéis-fazendas, e outros passeios de poucos dias, como Pirinópolis.
Escolas fechadas.
Creches e escolinhas de crianças chatas fechadas.
Repartições públicas fechadas.
Bancos fechados.
Consultórios sem atender pacientes.
A oficina do carro fechada dia sim dia não.
Fui ontem à tarde (domingo) a um shopping center, e parecia um prédio fantasma.
A única coisa que tem funcionado “acima da média” são os bares, botecos, pontos de venda de drogas, e coisas do tipo, que existem em lugares “bem conhecidos”.
A Folha de São Paulo publicou matéria de que restaurantes na região dos Jardins têm sido ameaçados pela “concorrência”. Falsa ameaça? Who knows, chi lo sa, …

O calendário tem sido este:
dia 12 – 5a.f – abertura – jogo do Brasil em SP – Brasília parada
dia 13 – 6a.f treze – dia de não fazer nada
dia 14 – sábado
dia 15 – domingo – jogo Suíça x Equador em Brasília
dia 16 – 2a.f – descansar do domingo e se preparar para a 3a.f
dia 17 – 3a.f  – jogo do Brasil em Fortaleza – Brasília parada
dia 18 – 4a.f – dia de curar a ressaca do 0x0a
dia 19 – 5a.f – feriado – jogo Colômbia x Costa do Marfim – cidade inteiramente parada – silêncio de cemitério militar
dia 20 – 6a.f – dia de não fazer nada
dia 21 – sábado oco
dia 22 – domingo véspera de feriado
dia 23 – 2a.f – jogo do Brasil em Brasília, contra os risoles de camarão –

Só aí contabilizam-se DOZE dias parados.
E o pessoal ainda vem falar da “economia”?
Só se for economia de eletricidade, com tudo vazio, os ares condicionados desligados, etc.
Por isso não houve apagão.

Um primo que mora em São Paulo, engenheiro autônomo, disse que está sem conseguir trabalhar pràticamente todo o mês.

Está pior do que a semana entre Natal e Ano Novo…..está ruim para trabalhar sim!!!!
é que ninguém fala….
Não consigo nem agendar dentista…

Um amigo, também em São Paulo, contou que o Poupatempo (psiu, na-hora, e sei lá quantos outros nomes nos outros estados) está com super-atraso na entrega dos documentos.

Hoje encontrei uma matéria na edição Campinas de O Globo, em que os comerciantes da cidade relatam prejuízos de até 80% nos dias de jogos do Brasil .
É que Campinas não sedia jogos – se não, os prejuízos seriam também nos dias de jogos dos outros países.

Não faltam matérias nos jornais de que os turistas dormem em saguões de aeroportos, em automóveis, e outros lugares não convencionais.
Excesso de lotação nos hotéis?
Não, reação contra preços abusivos que foram cobrados.Recebi toneladas de e-mails com “promoções” de empresas aéreas e de hotéis, para eu programar viagens neste mês.

Bem, mas ouvi no rádio que o movimento de drogas em Vila Madalena, tradicional reduto de “uma facção criminosa de São Paulo”, está com negócios a todo vapor (a toda fumaça e a todo pó).
Acredito que também estejam bons os negócios para as moças da difícil vida fácil.
Talvez fosse esse mesmo o objetivo de alavancar a economia que prometiam.

Resultado

Resultado do jogo Brasil e México:

 0x0a

ochoa

Os turistas e o CPF

Várias matérias de jornais relataram dificuldades que turistas, que vieram para a copa do mundo, têm com as operadoras de telefonia celular, por conta da necessidade de CPF.

Perguntas:

  1. se tantas regras foram abrandadas para “relativizar” o país e receber os turistas (e a FIFA) de braços abertos, ninguém se lembrou dessa aberração?
  2. os telefones celulares, que funcionam sem problemas nas penitenciárias, também se submetem a essa absurda regra da “anatéu”?

 

Nuvem de tags