Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘Correio Braziliense’

Visita a Meca

Já disse anteriormente que todos os brasileiros deveriam ser obrigados a visitar a cidade que é capital do país, tal como os muçulmanos são obrigados a fazer a peregrinação a Meca.

Talvez conhecessem a realidade das “áreas nobres da cidade”,  como jornalistas insistem em dizer e escrever (afinal de contas são os bairros onde eles mesmos moram, e não vão querer comparar-se com os reles mortais das cidades brasileiras).

20141217183855989299e

Se sobrevivessem aos ataques de escorpiões (animais, não humanos) que proliferam por essas áreas. Não apenas na 214, mas também na 112, na 406, e muitas outras quadras do Plano Piloto – imaginem nas “áreas plebéias do quadradinho”!

Escorpiões humanos não creio que seja possível combater, não enquanto as constituições “cidadãs” forem escritas por políticos profissionais que apenas resguardam e ampliam seus próprios privilégios

Anúncios

A era da desinformação

Ontem à noite, um amigo conversou comigo sobre a des-informação da era da informação. Muita quantidade e pouquíssima qualidade.

Matérias que não são confirmadas são lançadas em “sites de notícia” sem qualquer preocupação.

Exemplo disso foi a “morte” de Alberto Youssef no dia da eleição, em outubro.

É muito fácil lançar um boato e dizer que “fonte revelou”.

Omitem a fonte inexistente, e, ao contrário, expõem fontes que deveriam ser preservadas para prevalecer até mesmo o direito à vida.

Acham que “dar publicidade” a documentos públicos é “obrigação”, sem levar em consideração que há temas que precisam ser resguardados por um período, tanto no caso do tal “segredo de justiça”, como em caso de relações diplomáticas que podem ser afetadas se qualquer documento for tornado público, quando contém dados transmitidos por membros da oposição de determinadas ditaduras.

Esse meu amigo disse que quando vê algo “espetacular” vai primeiro checar se em alguns sites que ainda têm mais responsabilidade, como Globo, Estadão, confirmam a notícia. Terra (e seu parasita Jornal do Brasil), EBC, 247, Folha Política, e tantos outros portais, sites ou blogs, são tão tendenciosos que servem mais como fonte de humor do que para informação.

Observo que a pressa em noticiar, para encher de novidades a infernet, comete muito mais erros do que sempre, e que ainda por cima são responsáveis por uma seqüência de “imitadores”, como os malucos e malucas que resolveram que andar nus é “bonito e útil”, para chamar a atenção e ter os 8 segundos de fama.

Fora isso, os erros e mais erros de linguagem. Ortografia, conjugação de verbos, traduções equivocadas, e tantos outros.

Claro, é fácil atirar os textículos na infernet.

Ninguém se preocupa em fazer revisão do que escreve. “Garrancheia” e atira na blogosfera.

Saudade dos bons tempos da tipografia, em que os linotipos tinham de ser preparados, e davam aos jornalistas (e “analistas”) tempo para rever o que tinham escrito.

Esse meu amigo comentou que mais de uma vez, quando encontra algo muito “estranho”, faz o print screen da notícia, pois nada mais fácil na “era da informação” do que apagar o link, e fingir que a imensa burrada que foi publicada não é responsabilidade do autor.

Já tive essa experiência com uma notícia do Correio Braziliense, que simplesmente sumiu das pesquisas, embora eu a tenha lido na edição escrita, no tempo em que eu lia jornais de domingo sentado na sala.

A Folha também já me “negou” que tivesse publicado, há 40 anos, um documento que comprovava o racismo de determinada pessoa. Ficou apenas a lembrança na minha e na cabeça de outras pessoas que viram a notícia na primeira página imprensa daquele jornal, que aliás troca de opinião mais do que algumas pessoas trocam a roupa de baixo.

A era da informação é a maior desinformação que o mundo experimenta.

a fralda era uma fraude

Está no Correio Braziliense, inclusive registrado no blogue da Dad Squarisi, professora de Português que tem coluna permanente no principal jornal da capital federal   (bom eco).

Alergia e infecção
29/7 – Fabricante de fraudas é condenada por casos de alergia e infecção em bebês

o jornalista ir-responsável pelo texto certamente estudou em alguma escolinha que era uma fraude…
Freud explica (ou seria Fräud?)

puriçu çeimpri digu:
menaziskóla, pru favô!

 

Pesquisas servem para muitas coisas

Como prova de que pesquisas e estatísticas servem para muitas coisas, um d putado fedemal gastou quase meio milhão de reais com pesquisas sem qualquer fundamento.

Leiam a matéria no Correio Braziliense.

Isso é falta de guilhotina no país…

 

A Copa e a economia

Uma das muitas mentiras que se dizia a favor da copa do mundo no Brasil é que ela serviria para alavancar a economia do país.

Ontem, comentei por e-mail com amigos que Brasília, por conta de jogos na cidade, e de jogos do Brasil, virou uma cidade fantasma.

Restaurantes comuns fechados (nem quero imaginar aqueles usados pelos políticos, que só devem reabrir em fevereiro de 2014, depois das campanhas e das eleições).
Sorveterias às moscas.
Cafés sem clientes.
Ruas sem ônibus.
O edifício onde moro semi-vazio: muitos moradores foram para hotéis-fazendas, e outros passeios de poucos dias, como Pirinópolis.
Escolas fechadas.
Creches e escolinhas de crianças chatas fechadas.
Repartições públicas fechadas.
Bancos fechados.
Consultórios sem atender pacientes.
A oficina do carro fechada dia sim dia não.
Fui ontem à tarde (domingo) a um shopping center, e parecia um prédio fantasma.
A única coisa que tem funcionado “acima da média” são os bares, botecos, pontos de venda de drogas, e coisas do tipo, que existem em lugares “bem conhecidos”.
A Folha de São Paulo publicou matéria de que restaurantes na região dos Jardins têm sido ameaçados pela “concorrência”. Falsa ameaça? Who knows, chi lo sa, …

O calendário tem sido este:
dia 12 – 5a.f – abertura – jogo do Brasil em SP – Brasília parada
dia 13 – 6a.f treze – dia de não fazer nada
dia 14 – sábado
dia 15 – domingo – jogo Suíça x Equador em Brasília
dia 16 – 2a.f – descansar do domingo e se preparar para a 3a.f
dia 17 – 3a.f  – jogo do Brasil em Fortaleza – Brasília parada
dia 18 – 4a.f – dia de curar a ressaca do 0x0a
dia 19 – 5a.f – feriado – jogo Colômbia x Costa do Marfim – cidade inteiramente parada – silêncio de cemitério militar
dia 20 – 6a.f – dia de não fazer nada
dia 21 – sábado oco
dia 22 – domingo véspera de feriado
dia 23 – 2a.f – jogo do Brasil em Brasília, contra os risoles de camarão –

Só aí contabilizam-se DOZE dias parados.
E o pessoal ainda vem falar da “economia”?
Só se for economia de eletricidade, com tudo vazio, os ares condicionados desligados, etc.
Por isso não houve apagão.

Um primo que mora em São Paulo, engenheiro autônomo, disse que está sem conseguir trabalhar pràticamente todo o mês.

Está pior do que a semana entre Natal e Ano Novo…..está ruim para trabalhar sim!!!!
é que ninguém fala….
Não consigo nem agendar dentista…

Um amigo, também em São Paulo, contou que o Poupatempo (psiu, na-hora, e sei lá quantos outros nomes nos outros estados) está com super-atraso na entrega dos documentos.

Hoje encontrei uma matéria na edição Campinas de O Globo, em que os comerciantes da cidade relatam prejuízos de até 80% nos dias de jogos do Brasil .
É que Campinas não sedia jogos – se não, os prejuízos seriam também nos dias de jogos dos outros países.

Não faltam matérias nos jornais de que os turistas dormem em saguões de aeroportos, em automóveis, e outros lugares não convencionais.
Excesso de lotação nos hotéis?
Não, reação contra preços abusivos que foram cobrados.Recebi toneladas de e-mails com “promoções” de empresas aéreas e de hotéis, para eu programar viagens neste mês.

Bem, mas ouvi no rádio que o movimento de drogas em Vila Madalena, tradicional reduto de “uma facção criminosa de São Paulo”, está com negócios a todo vapor (a toda fumaça e a todo pó).
Acredito que também estejam bons os negócios para as moças da difícil vida fácil.
Talvez fosse esse mesmo o objetivo de alavancar a economia que prometiam.

Sites de jornais

De repente, no meio “das festas de copa imunda”, os principais jornais / revistas brasileiros fizeram alterações visuais em seus sites.

Um espírito de imitação que é de cair queixo de mula!

Tudo arrumadinho, limpo, com imagens bonitinhas, com chamadas escandalosamente escandalosas (como sói ocorrer na “enpreimça“), e…
com incrível falta de informações úteis.

Além do blablablá de “famosos”, de fofocas sobre alpinistas sociais e outros do estilo, além de toneladas de pop-ups com propagandas.

Nem tudo porém se resume a isso: ainda temos as abomináveis matérias pagas, que eles colocam como “reportagens”, do tipo “não existe bolha imobiliária”, ou “meu colega jornalista é o melhor candidato ao senado que jamais houve em terras tupiniquins”, e outras coisas de “total isenção”.

Não é necessário ter um site chato e antiquado, como o New York Times, mas nem todas as pessoas dão mais valor à forma do que o conteúdo.

Com esse detalhe, conteúdo, nem os “programadores visuais” nem os empresários das comunicações parecem preocupar-se.

Ah, quase deixava de lado:
e as matérias que simplesmente “desaparecem” no arquivo dos sites, porque a repercussão foi oposta à que estava programada pela empresa, ou porque estavam impregnadas de “herros”?

E a descarada censura a comentários de leitores? Esse pode, esse não pode.
E são eles os que “defendem” a liberdade de expressão?
Poupem-nos de balelas demagógicas.
“Porcorativismo” da pior espécie!

Melhor voltar a ouvir rádio, e ler blogs, para atualização das informações.
Os blogs têm rabo muito menos preso do que esses sites de jornais, e informam coisas que a “grande enpreimça” esconde.

P.S. Acabo de ver que a vetusta BBC está com pesquisa para saber as preferências dos leitores, para eventuais alterações na ênfase de alguns conteúdos.

Pagode

Dona FIFA, a entidade à qual o Brasil presta vassalagem, registrou no Instituto Nacional de Propriedade Industrial o uso exclusivo da palavra “pagode”, em 2014.
https://twitter.com/UOL/status/469180726819438594

http://virgula.uol.com.br/esporte/virgula-na-copa/fifa-registra-palavra-pagode-e-outros-200-nomes-como-marcas-proprias-no-inpi

http://www.df.superesportes.com.br/app/noticias/especiais/copa-do-mundo-2014/noticias/2014/05/21/interna-noticia,55325/instituto-nacional-de-propriedade-industrial-confira-que-fifa-e-dona-da-palavra-pagode.shtml

 

Será que, além do estilo de samba, também lhe foi dada a propriedade dos pagodes chineses, japoneses, cambojanos, etcetereanos?

Dona FIFA acredita que o povo brasileiro lhe dirá fiu-fiu.

Mas não, para nós, esses dois efes, na verdade, lembram-nos de

fiofó

fio de uma fruta

fruta que faliu.

Nuvem de tags