Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘enchentes’

Visita a Meca

Já disse anteriormente que todos os brasileiros deveriam ser obrigados a visitar a cidade que é capital do país, tal como os muçulmanos são obrigados a fazer a peregrinação a Meca.

Talvez conhecessem a realidade das “áreas nobres da cidade”,  como jornalistas insistem em dizer e escrever (afinal de contas são os bairros onde eles mesmos moram, e não vão querer comparar-se com os reles mortais das cidades brasileiras).

20141217183855989299e

Se sobrevivessem aos ataques de escorpiões (animais, não humanos) que proliferam por essas áreas. Não apenas na 214, mas também na 112, na 406, e muitas outras quadras do Plano Piloto – imaginem nas “áreas plebéias do quadradinho”!

Escorpiões humanos não creio que seja possível combater, não enquanto as constituições “cidadãs” forem escritas por políticos profissionais que apenas resguardam e ampliam seus próprios privilégios

Desabamentos, ontem, agora e sempre

Enquanto os políticos que permitem esse tipo de construção não forem obrigados a ressarcir todos os prejuízos nas respectivas cidades, as imagens se repetirão ever and ever.

Vitória, ES - janeiro 2014

Vitória, ES – janeiro 2014

http://oglobo.globo.com/pais/depois-das-chuvas-governo-do-es-anuncia-plano-de-reconstrucao-de-540-milhoes-11198141

Como o dinheiro sai dos contribuintes, ninguém se incomoda com a repetição dos fatos.

nossa! teve enchente no rio – que surpresa…

Dá para a gente comentar essas enchentes no Rio e nos municípios da Baixada Fluminense?

Para que?

Tudo igual. Passa ano, entra ano, tudo se repete. Apenas o número de mortos pode variar.

Ah, e os desmoronamentos na Serra ficam para quando?

A culpa não é da natureza, é dos eleitores que votam nesses trecos – governadores, deputados, prefeitos e vereadores.

Já escrevi sobre isso todos os anos aqui no blogue. Nem vale a pena mais tocar no tema daqui em diante.

Chuvas no Rio de Janeiro

Caramba, está chovendo em março no Rio de Janeiro e tem havido deslizamentos de terra e inundações.

Que novidade! Deve ser alguma mudança climática… Presume-se, também, que seja conseqüência de uma famosa canção de Tom Jobim.

Se não me engano, há um século isso tem ocorrido todos os anos. É só clicar nas etiquetas [tags] “enchentes” e “deslizamentos”, e observarão como isso tem sido uma repetição ad nauseam.

Apenas mudam – às vezes, só às vezes – os políticos safados, ladrões, corruptos, que utilizam dinheiro de prevenção para a compra de automóveis, viagens ao exterior, aumento de salários, e coisas assim.

E o povaréu, obrigado a votar pelas leis impostas pela ditadura dos partidos, continua a eleger os mesmos nomes.

Se vereadores, secretários estaduais e municipais, governadores e prefeitos, fossem obrigados a cobrir os prejuízos da população, não haveria, certamente, tantos candidatos para essas boquinhas. Político, afinal de contas, é uma profissão muito rentável. É impossível alguém “perder o gosto” por essa atividade.

O pior é ainda termos de agüentar a propaganda política obrigatória para esses seres ignóbeis fazerem sua mèdiazinha com os clientes de voto-esmola.

Uma comparação entre Lula e Dilma

Acabei de ouvir no rádio um comentário, em razão do incêndio na boate em Santa Maria:

  • Dilma cancelou os compromissos e imediatamente voou a Santa Maria, para ver a extensão da tragédia.

“Parecidinho” com aquele outro, que:

  1. quando caiu o avião da TAM só recebeu os parentes passado mais de um ano do acidente; ainda por cima, tivemos o desprazer de ver um de seus assessores (ou acessórios, penduricalhos) fazer o sinal de toptop para o caso;
  2. quando houve as enchentes em Santa Catarina, demorou para que ele sobrevoasse o local, de Helicóptero, sem pôr os pés naquelas terras alagadiças. Ficou de longe, e só foi mesmo porque eram muitos os protestos pela omissão evidente de sua majestade;
  3. quando houve os deslizamentos em Angra dos Reis, el-rei continuou a passar o ano novo em Aratu, e não se envergonhou de ser fotografado carregando isopor de bebidas.

Depois a esquerda festiva tem coragem de falar mal de Bushinho, que não foi a Nova Orleans. Não olha para a sujeira do próprio rabo.
Dilma pelo menos soube imitar o Obaobama, que suspendeu a campanha eleitoral quando houve outro desastre natural na Costa Leste dos EUA, em 2012.

Além de colocar a trabalhar todo o governo federal, repassando os recursos materiais e humanos que sejam necessários em Santa Maria, a presença física de um governante, quando ocorre uma tragédia, é uma imposição do cargo. Exceto para autocratas do século XVII. Esses costumavam se esconder em seus palácios alternativos.

2013, termine logo, por favor!

2013 mal começou e temos motivos de sobra para xingar com todos os palavrões o ano que se inicia. Sem seqüência de prioridade ou cronológia, já vimos:

  • Uma vereadora (profesora!!!) simulou o próprio seqüestro, em Ponta Grossa – PR, para dar um golpe político na câmara de vereadores.
  • Um sujeito condenado à prisão (do mesmo partido que a vereadora paranaense) pelo Supremo Tribunal Federal assume cargo de deputado federal, na representação de São Paulo.
  • O saldo comércio brasileiro foi o menor de muitos anos e, é claro, registrou-se apenas em função de produtos primários, tal como era o Brasil até o século XIX.
  • A prefeita de Holambra – SP entregou o cargo para o novo titular, mas antes roubou material da prefeitura, inclusive com aquela “prática” de retirar discos rígidos de computadores, para eliminar provas de “maus feitos”.
  • A falta de coleta de lixo, por conta do lixo que são os políticos, provocou inundações, mortes e desabamentos em Xerém, Duque de Caxias – RJ.
  • Um cliente foi esfaqueado e morto pelos donos de restaurante, no Guarujá – SP, por ter reclamado do valor da conta. “Eu só queria furar um pouquinho”, disse um dos assassinos.
  • Cretina Kitchen voltou com as bravatas contra os kelpers serem britânicos. Pura frustração de argentinos, que sempre quiseram ser britânicos e até tinham loja da Harrod’s em Good Airs.
  • Tudo pronto para mais uma abominável seqüência de baixarias do chamado Big Brother.

São dezenas de outras notícias ruins. Nenhuma boa.

2013, termine logo, por favor!

Chuvas e deslizamentos – 4 (e P.S.)

Não agüento mais!

Entra ano, sai ano, e todo verão a mesma coisa de chuvas, alagamentos, deslizamentos e mortes em tudo quanto é canto deste país de gente “sofrida”.

Sofrida o escambau!

Se a prefeitura ordena o deslocamento das pessoas que ocupam áreas de risco, logo aparecem os ongueiros, os “adevogados” dos “movimentos sociais”, jornalista mal-intencionado, e toda essa tranqueira, que impede a remoção das pessoas, em nome de um monte de baboseira pseudo-sócio-ilógica. Na verdade o trabalho deles é remunerado pelas notícias ruins e tragédias dos outros.

O resultado é que os mesmos porcos que sujam as ruas, sujam os barrancos e as encostas de morros, e com isso provocam uma porção de acomodações de terra molhada, que desliza e derruba casas, terra de solo mole, que sempre deslizou. Essa “gente sofrida” escolhe a dedo onde não se pode construir. Riquinhos exibidos também.

Enquanto isso, o lixo entope as parcas galerias de águas pluviais e provoca os evitáveis alagamentos.

Pergunte se na Xina os “movimentos sociais” têm a empáfia de driblar uma ordem de desocupação de uma área ocupada irregularmente? Só para citar um exemplo.

Sabe de uma coisa: acho que realmente esses moradores (pouco importa a classe social) que insistem em morar em barrancos e encostas têm mesmo esse direito. Só que deveriam deixar pago, antecipadamente, o custo do serviço de busca dos respectivos cadáveres. Porque quem paga isso somos nós, que assistimos esse festival de “quero us meo dereito” a torto e a direito.

E quem lucra, em dinheiro e votos, são os mesmos demagogos de sempre.

Não me venham com conversa de que na época em que a terra está seca não dá para impedir os moradores de instalar suas mansões ou barracos nessas áreas.

Chuvas e deslizamentos – 1 – 2008

Chuvas e deslizamentos – 2 – 2010

Chuvas e deslizamentos – 3 – 2010

À tarde a BandNews divulgou estas imagens sobre “pobres que não querem sair” – estão lá há pouco tempo, mas já querem “usmeodereito”.

http://tvuol.uol.com.br/permalink/?view/id=famlias-no-querem-deixar-reas-ameaadas-por-chuva-04021A3670C8C19307/mediaId=8982864/date=2011-01-13&&list/type=tags/tags=340366/edFilter=editorial/

-=-==–=-

“Não tem desculpa. Brasil não é Bangladesh.

 

Nuvem de tags