Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘guerrilha’

a eleição do Trump, a imprensa, os analistas, etc e tal

Enviaram-me este texto:

Recado para a imprensa em geral:
Vocês esqueceram de fazer jornalismo para fazer campanha declarada em prol do Reino Unido se manter atrelado ao monstro burocrático que se tornou a União Europeia. Chamaram milhões de trabalhadores e pobres de xenófobos, disseram que era um absurdo o interior decidir algo tão importante, avisaram que seria o apocalipse na terra se o Brexit vencesse.
Perderam. O Reino Unido – se o establishment deixar – sairá da União Europeia. E está melhor do que nunca com isso.

Vocês esqueceram de fazer jornalismo para fazer campanha declarada em prol de um acordo do estado da Colômbia com as FARC, um grupo marxista terrorista que sequestrou e matou milhares de pessoas, acordo este que incluía cotas para terroristas na Câmara e no Senado colombianos, e taxaram aqueles contrários a esse acordo de intolerantes e contrários a paz.
Perderam. A Colômbia não quer terroristas no Congresso.

Vocês esqueceram de fazer jornalismo para fazer uma campanha ainda mais declarada e totalmente tendenciosa em prol de Hillary Clinton, apostando todas as fichas na eleição de uma das políticas mais corruptas da história dos Estados Unidos. Chamaram milhões de trabalhadores de brancos ignorantes, caipiras, burros, xenófobos, racistas, homofóbicos, machistas e toda sorte de invenção possível para elevar Hillary Clinton a um pedestal de santa enquanto Donald Trump era o demônio.
Perderam. Trump será o presidente, os republicanos terão a Câmara e o Senado. E elegerão a nova Suprema Corte.

Deixa eu contar algo pra vocês: a grande maioria das pessoas está pouco se lixando pra esse mimimi politicamente correto que vocês estampam a cada mínima coisa que alguém – que não seja de esquerda – faz que seja politicamente “incorreta”. As pessoas querem trabalhar, ter sua casa, seu carro, viajar, ver os filhos vivendo bem, envelhecer bem, enfim, ter uma boa vida. Mas fica difícil enxergar isso quando vocês só estão preocupados em procurar racismo, machismo, homofobia, xenofobia e similares em qualquer mínima coisa do dia a dia.

O resultado disso? Jornais fechando ou com queda nas tiragens por todo o mundo, mídia sendo cada vez mais contestada – graças às redes sociais, que vocês não controlam – e o povo fazendo nas urnas exatamente o contrário do que vocês passam meses defendendo de forma tão acintosa que chega a ser ridícula. Como disse um comentarista da americana NBC, fazendo um mea culpa ao vivo, vocês não estão ouvindo o que as pessoas estão falando, vocês estão tentando impor a elas o que elas devem falar.

A era da grande mídia como quarto poder está chegando ao fim. E se vocês não mudarem, jogando no lixo esse esquerdismo militante e entendendo que há liberais, conservadores e diversos outros pontos de vista na sociedade que devem ser ouvidos, serão extintos juntos com essa era.

THE NEWS WILL BE GREAT AGAIN. E cada vez dependerão menos de vocês.

Resumindo: O povo cansou de mentiras de políticos . Dizer que gosta de pobre, não convence mais.  Vale dizer a verdade

Hoje de manhã, ouvindo rádio na estrada, na Jovem Pan estavam entrevistando dois professores de Relações Internacionais. Não pude anotar seus nomes. Um deles disse, se houver guerra não será Trump que começará, mas os líderes que vão querer colocar manguinhas de fora porque os americanos estarão cuidando deles e não dos outros.

No caso do Brasil, mencionou que considera uma tremenda mentira o discursinho batido de que “é preciso inserir o Brasil no cenário internacional. Inserir não depende da ” boa vontade” dos outros, mas da competência do país em ocupar espaço. E Nunca um país que tem vergonha de ter forças armadas será digno de fazer parte do conselho de segurança da ONU.” E é claro, que no Brasil pós-88 é vergonhoso falar em forças armadas.

O Brasil quer cuidar do quintal dos outros? Com dois presidentes dos poderes retirados quase ao mesmo tempo, e ainda um outro em vias de ir pelo mesmo caminho? Quantos países tiveram DOIS impeachments de presidentes em menos de 30 anos?

Parece que os “analistas” que tanto fizeram propaganda pela campanha de Hillary, lá e cá, deveriam se preocupar em ser mais precisos, e menos partidários. Afinal de contas, -ista é sufixo de “seguidor” (dentre outras características),  e no caso parece que os “analistas” apenas seguem o ânus dos líderes.

Anúncios

acordo Colômbia farcs

Os tão bem comentado acordo ontem assinado em Havana, entre o governo da Colômbia e o grupo guerrilheiro/terrorista chamado farc, para mim cheira uma reedição dos acordos de Paris, assinados em 1973 pelos Estados Unidos e os Vietnãs.

As conseqüências foram sentidas dois anos depois.

 

 

vandalismo

Ontem fui a Sobradinho, e na BR há, em dois lugares, painéis de propaganda de uma oficina mecânica, com retrato do grande assassino arghgentinho,
cognominado tchê quemerda (aquele que morreu em uma emboscada, com a localização oferecida pelo arqui-rival, o famoso coma andante).

Por que retratos desse bandido podem ser expostos, sem serem apologia ao crime, e outros são proibidos?
Se alguém quiser pôr um painel com retrato de Hitler ou Médici, pode?

Assassino é assassino de qualquer jeito.
seja de um grupo ou de outro.

Não venham com conversa de que os outros eram de direita.
Direita que não permite o livre mercado e a livre iniciativa é tão esquerda quanto os de ideário “marquiçista”.
Aquilo que houve na Alemanha ou na Itália não tinha nada de extrema direita.
Tinha sim de ditadura econômica, política e social.
Ah, mas isso não pode não agradar us militontos da ischquêrda, favoráveis à ditadura econômica, política e social.

Ninguém consegue me explicar por que os milhões de mortos dos ditadores comunistas têm de ser esquecidos,
e apenas lembrados os outros milhões de mortos dos ditadores nazifascistas do século XX (em quantidade menor, pelo que consta, somando-se todos).
Mao tsé-tung, stalini, fidelini, mengistu hailé mariam, pol pot, e outros mais, não são lembrados como facínoras…
Em troca, há pessoas (fanáticos anti-católicos) que insistem em falar da inquisição, como se ela tivesse sido o “auge” da perdição humana.

Ah, por falar nisso,
la framsse, esse maravilhoso país dos entelequetuaes disquerda, mandou mesmo quantos judeus para “virarem churrasco” na Alemanha?

Se eu for lá e apagar as pinturas do tchê quemerda, serei acusado de vandalismo.
Se eu puser fogo em um ônibus, com os brequibroques, não acontecerá nada.

Assim é este país.
Assim é este mundo contemporâneo.

 

Jihadistão

Será que Barack Hussein já planeja a visita de chefe de estado ao jihadistão, que se forma em conseqüência de sucessivos fracassos da “diplomacia” americana?

Afinal de contas, ele ganhou o nobel da paz antes mesmo de mostrar qualquer serviço ao mundo.

Ou, melhor dizendo, antes de mostrar os desserviços que prestaria ao mundo.

Saramago e as FARC

Não vou ficar aqui traduzir, nem comentar o que disse o escritor português José Saramago, na entrevista que deu ao jornal colombiano El Espectador.

A matéria pode ser lida integralmente no link aqui , está em linguagem bem clara, e só não entende quem não quer.

Pena que há grupos na América Latrina que insistem em falar como se vivêssemos há 40, 50 ou 60 anos.

Nuvem de tags