Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘hipocritamente mal-resolvidos’

o prêmio ignóbil

HAHAHAHAHAHAHA

Descobriram que o prêmio ignóbil, aquele que é entregue com pompa e dinheiro para a esquerda festiva pacifista e literária, é uma fraude!
http://cultura.estadao.com.br/noticias/literatura,escandalo-sexual-ameaca-premio-nobel-de-literatura,70002267181

A notícia é fraquinha (lógico, não se pode esperar outra coisa do Neva Inhoque Times e seus entelequetuaes de Manhatã), mas os comentários dos leitores brasileiros valem a pena a leitura e a reflexão.

Prêmio ignóbil e concurso de miss deveriam ser extintos, junto com a maior parte dos programas de televisão.
Apenas emburrecem.

Anúncios

palavras vazias

Há uma série de palavras que são usadas a torto e a direito, só para fingir engajamento com uma “causa”, para tentar impressionar o interlocutor, e que já se afastaram do verdadeiro significado.

Uma delas é empreendorismo.

Outra é sinergia.

Para mim, porém, a pior de todas é o uso de resiliência, forma hipócrita de dizer não reclame.

Essas palavras (e algumas outras de que não me ocorrem agora) na realidade esvaziam o conteúdo e o contexto da conversa.

Vendem-se escravos

Já falei tantas vezes da escravidão na África, em pleno século XXI, mas fiquei realmente enjoado com essa notícia.

Vendem-se escravos. 400 dólares cada.

https://www.dn.pt/mundo/interior/migrantes-africanos-vendidos-como-escravos-por-400-dolares-8917560.html

Não encontrei essa notícia nos jornais tupinambás. Afinal de contas, aqui prevalece a doutrina de que os caucasianos europeus são maus e que os negros sempre são suas vítimas. Sobretudo nas páginas da falha-de-são-paulo e de o-bobo.
Não fica bem comentar que os muçulmanos continuam a praticar a escravidão, justamente em cima de quem tenta buscar refúgio.
Até a CNN, fonte dessa matéria, conseguiu se livrar, ocasionalmente, do grilhão do hipòcritamente mal-resolvido.
Não, porém, a enpreimça tupinambá, que omitiu este fato.
No próximo dia 20, porém, elogiará Zumbi dos Palmares, o régulo alagoano que mantinha escravos em seus domínios…
E dirá que os portugueses que inventaram a escravidão e saíam pelo interior do continente africano para caçar pessoas.

Ah, onde está aquela tal de ONU, que também se cala?
Ela não está cheia de funcionários nababos , pagos para “se preocupar” com os refugiados?
Não tem justamente um príncipe jordaniano para cuidar dos “direitos humanos”?

 

a palavra dinamarca

Há uns dias, circulou pelas famosas redes de emburrecimento social um vídeo da TV 2 da dinamarca, que conclama todos a serem amiguinhos e irmãozionhos, e tolerantes com os imigrantezinhos que explodem o mundinho imundinho.
Não repassei porque vomitei em cima do celular e precisei deixá-lo em repouso.
Melhor reler o que coloquei uma vez em meu blog:

https://boppe.wordpress.com/2013/10/24/velhice-na-dinamarca/⁠⁠⁠⁠

e também se informar sobre as maravilhas daquele país tão certinho, pois o
museu nacional da dinamarca decidiu que a palavra “preto” é proibida nas obras que lá estão expostas.

Como o cinismo e a hipocrisia não fazem parte de minha índole,
e seguindo os mais estritos parâmetros da reciprocidade,
a palavra marca dos daneses está proibida aqui em casa.

Quem já morou lá, sempre fala mal daquele país de gente mais falsa do que cédula de US$ 3,64, emitida pelo Federal Bank of Nigeria.
Falsos, chatos e desonestos com os inquilinos.

Turistas: por favor atenham-se à sua mediocridade de quem ficou em hotel ou usou air bnb e nunca enfrentou a realidade do quotidiano.

Dinamarca, atenha-se aos butter cookies e ao Lego.

Para quem se arreganhou com sorrisos para os nazistas durante a II Guerra, o cinismo de vocês ultrapassou minha tolerância.

Penso que lugares onde chove 489 dias por ano, e onde as pessoas precisam aproveitar ao máximo os 5 minutos de sol que ocorre a cada década, devem mesmo ser muito chata a vida, por isso se preocupam em defecar regras para todos.
Cuidem de seus preconceitos, loiros aguados!

Insuportável!

Insuportável!
É a única palavra que encontro para designar o repúdio que tenho contra os ditadores da hipocrisia, que ditam regras de policiamento correto. (acho que essa deveria ser a expressão).

Proibiram cantar “noite feliz”, para não ofender outras religiões.

Como se diz em bom e velho português:

VÃO À PUTA QUE OS PARIU!

 

 

a truculença da puliça

ai, mais uma vez a falha uó faz matéria para falar da truculença da puliça.

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2016/11/11/em-10-anos-policia-do-rj-mata-quase-o-dobro-da-policia-de-todos-os-eua.htm#comentarios

esse peçonhalzinho não repara que ninguém mais dá crédito a esses defensores de bandidos,

que a enpreimça não é mais vista como formadora de opinião, mas como deformadora de valores,
é só ver os comentários dos leitores que ainda perdem o tempo lendo esse tipo de site de notícias

coitadinhos dos bandidos, coitadinhos dus deretchus dus manu, coitadinhos dos gehornallyztas que compactuam com os traficantes…

vai, capo, posta logo teu comentário, posta o que você herda da famiglia.

 

a eleição do Trump, a imprensa, os analistas, etc e tal

Enviaram-me este texto:

Recado para a imprensa em geral:
Vocês esqueceram de fazer jornalismo para fazer campanha declarada em prol do Reino Unido se manter atrelado ao monstro burocrático que se tornou a União Europeia. Chamaram milhões de trabalhadores e pobres de xenófobos, disseram que era um absurdo o interior decidir algo tão importante, avisaram que seria o apocalipse na terra se o Brexit vencesse.
Perderam. O Reino Unido – se o establishment deixar – sairá da União Europeia. E está melhor do que nunca com isso.

Vocês esqueceram de fazer jornalismo para fazer campanha declarada em prol de um acordo do estado da Colômbia com as FARC, um grupo marxista terrorista que sequestrou e matou milhares de pessoas, acordo este que incluía cotas para terroristas na Câmara e no Senado colombianos, e taxaram aqueles contrários a esse acordo de intolerantes e contrários a paz.
Perderam. A Colômbia não quer terroristas no Congresso.

Vocês esqueceram de fazer jornalismo para fazer uma campanha ainda mais declarada e totalmente tendenciosa em prol de Hillary Clinton, apostando todas as fichas na eleição de uma das políticas mais corruptas da história dos Estados Unidos. Chamaram milhões de trabalhadores de brancos ignorantes, caipiras, burros, xenófobos, racistas, homofóbicos, machistas e toda sorte de invenção possível para elevar Hillary Clinton a um pedestal de santa enquanto Donald Trump era o demônio.
Perderam. Trump será o presidente, os republicanos terão a Câmara e o Senado. E elegerão a nova Suprema Corte.

Deixa eu contar algo pra vocês: a grande maioria das pessoas está pouco se lixando pra esse mimimi politicamente correto que vocês estampam a cada mínima coisa que alguém – que não seja de esquerda – faz que seja politicamente “incorreta”. As pessoas querem trabalhar, ter sua casa, seu carro, viajar, ver os filhos vivendo bem, envelhecer bem, enfim, ter uma boa vida. Mas fica difícil enxergar isso quando vocês só estão preocupados em procurar racismo, machismo, homofobia, xenofobia e similares em qualquer mínima coisa do dia a dia.

O resultado disso? Jornais fechando ou com queda nas tiragens por todo o mundo, mídia sendo cada vez mais contestada – graças às redes sociais, que vocês não controlam – e o povo fazendo nas urnas exatamente o contrário do que vocês passam meses defendendo de forma tão acintosa que chega a ser ridícula. Como disse um comentarista da americana NBC, fazendo um mea culpa ao vivo, vocês não estão ouvindo o que as pessoas estão falando, vocês estão tentando impor a elas o que elas devem falar.

A era da grande mídia como quarto poder está chegando ao fim. E se vocês não mudarem, jogando no lixo esse esquerdismo militante e entendendo que há liberais, conservadores e diversos outros pontos de vista na sociedade que devem ser ouvidos, serão extintos juntos com essa era.

THE NEWS WILL BE GREAT AGAIN. E cada vez dependerão menos de vocês.

Resumindo: O povo cansou de mentiras de políticos . Dizer que gosta de pobre, não convence mais.  Vale dizer a verdade

Hoje de manhã, ouvindo rádio na estrada, na Jovem Pan estavam entrevistando dois professores de Relações Internacionais. Não pude anotar seus nomes. Um deles disse, se houver guerra não será Trump que começará, mas os líderes que vão querer colocar manguinhas de fora porque os americanos estarão cuidando deles e não dos outros.

No caso do Brasil, mencionou que considera uma tremenda mentira o discursinho batido de que “é preciso inserir o Brasil no cenário internacional. Inserir não depende da ” boa vontade” dos outros, mas da competência do país em ocupar espaço. E Nunca um país que tem vergonha de ter forças armadas será digno de fazer parte do conselho de segurança da ONU.” E é claro, que no Brasil pós-88 é vergonhoso falar em forças armadas.

O Brasil quer cuidar do quintal dos outros? Com dois presidentes dos poderes retirados quase ao mesmo tempo, e ainda um outro em vias de ir pelo mesmo caminho? Quantos países tiveram DOIS impeachments de presidentes em menos de 30 anos?

Parece que os “analistas” que tanto fizeram propaganda pela campanha de Hillary, lá e cá, deveriam se preocupar em ser mais precisos, e menos partidários. Afinal de contas, -ista é sufixo de “seguidor” (dentre outras características),  e no caso parece que os “analistas” apenas seguem o ânus dos líderes.

Nuvem de tags