Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘Noruega’

países caga-regras

Existem países ricos especializados em tentar impor regras para os outros, fingindo que nunca estiveram envolvidos em nada herado.

Mais uma vez a regra se comprova:

Apesar de criticar desmatamento, Noruega é dona de mineradora denunciada por contaminação na Amazônia

Estado holandês é condenado por massacre de Srebrenica

Isso, apenas nesta semana.
Sobram ainda muitos e muitos fatos mais antigos, como Ruanda, Sudão do Sul (e Sudão do Morte), Somália, Líbia,

Assim caminha o mundo, desde a epopéia de Gilgamesh…

 

Anúncios

o tal Reino Unido

Por conta de um referendo / plebiscito (ou consulta popular, ou sei lá que nome tem isso em inglês), a ser realizado na Escócia em 2014, li há alguns meses que aquele país pode sair do “Reino Unido”.

Calma lá, não seria “a Escócia pode desagregar o Reino Unido”. O Reino Unido da Grã Bretanha e Irlanda do Norte é a união de dois reinos, o da Inglaterra e o da Escócia, além de outras partes que integram o reino da Inglaterra: o principado de Gales e o território da Irlanda do Norte. Dois reinos e outros territórios. Uma ilha “Grã” e mais umas outras ao redor, fora as “dependências da coroa”, que não fazem parte do Reino Unido (os paraísos fiscais de Man, Jersey e Guernsey, onde “certos políticos nunca tiveram dinheiro”).

Outra coisa, foi o rei da Escócia que se tornou, por questões de sucessão hereditária das famílias reais, rei da Inglaterra, e não a Inglaterra que invadiu a Escócia e a anexou a seu território. Primeiro uma união pessoal, e depois uma fusão de dois reinos.

União pessoal, como já houve também nos países nórdicos – primeiro a chamada União de Calmar, depois a união da Noruega e a Dinamarca, e por último a união da Noruega e a Suécia.
[É por isso que o Prêmio Nobel é entregue em cerimônias na Suécia e na Noruega – quando Alfred vivia, os dois países viviam como reinos em união pessoal, ou seja, o mesmo rei de um era rei de outro.]
A própria Grã Bretanha teve união pessoal com o Reino do Hanôver, até que foram separados por conta da ascensão ao trono britânico de uma jovenzinha, uma tal de Vitória, o que não era admitido naquele reino continental alemão, que impedia que mulheres fossem governantes.

Não duvido que os escoceses preferissem se manter em união pessoal com a coroa inglesa (e não mais britânica), caso escolha a independência completa. Eles parecem muito menos chegados à forma republicana do que os vizinhos do sul, que não cogitam banir a família real e substituí-la por caríssimos presidentes e suas custosas famílias. Aliás, os Windsor (ex-Saxe-Coburgo-Gotha) são descendem dos Stuart escoceses, e não dos Tudor ingleses.

Portugal e Algarve chamavam-se de Reino Unido, embora o Algarve (ou ocidente da Andaluzia) nunca tenha tido um governo próprio. Nós também já fizemos parte desse mesmo Reino Unido. A saída do Brasil não alterou o nome de Portugal, que, até a proclamação da república, em 1910, continuou a se chamar Reino Unido de Portugal e Algarves (em teoria, havia um Algarve na Europa e outro no Norte da África).

Reino Unido é a forma de governo. Tal como Estados Unidos. Embora os habitantes de ambos os países prefiram qualificar a forma de governo como o nome do próprio país. Falaremos disso no próximo post.

Nuvem de tags