Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘prefeito’

Que fofura…

Logo no primeiro dia do novo calendário para pagamentos de impostos (o chamado ano civil), lemos que:

http://g1.globo.com/politica/noticia/ao-menos-35-candidatos-mais-votados-nao-devem-assumir-prefeituras-no-dia-1.ghtml

 

e somos lembrados que

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/prefeito-eleito-de-osasco-tera-de-pagar-fianca-de-r-300-mil-na-segunda-feira.ghtml

 

Como diria Hebe Camargo:

eles não mesmo uma gracinha? 

Anúncios

amor

recebi por whatsapp

 

IMG-20160222-WA0005

 

Vereador de ônibus

Em Londres (e outras cidades inglesas), prefeito e vereadores são obrigados a utilizar o transporte público.

http://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/2013/08/1324221-prefeito-e-vereador-de-londres-ganham-vale-transporte-em-vez-de-carro.shtml

Na Tupiniquinlândia, essas ótóridades ganham nababescos salários, só usam automóvel oficial com motorista (ônibus, só se estiver acompanhado de 20 assessores e 40 jornalistas, em época eleitoreira), e ainda fazem legislações contra a melhoria do transporte público, como a proibição do UBER.

Pior que ainda são aplaudidos por sindicatos da pior escória, como os que na semana passada realizaram paralisações nos ônibus de todo o país, para exigir que todos os ônibus tenham cobradores.
Por que não também cobradores em trens, metrôs, aviões, navios, … ?
Os outros países é que estão errados, é claro!

God Save the Queen!

Atrasado não são os monarquistas, mas esses rés-pubicanos de baixíssimo grau. (rês, rés e ré)

a prefeita de paris e o presidente da frança

Depois dos vários atentados terroristas de ontem, é bom lembrar quem é a prefeita de paris:

https://boppe.wordpress.com/2015/01/21/ue-madama-prefeita-cade-a-liberdade-de-expressao/

Acho que ela (e o presidente da framssa, do mesmo partido que ela) não levam a sério o mundo em que vivem.
Agora querem a solidariedade de todos.

Je ne suis pas Paris.

As conversas de correção política (hipocrisia mal resolvida) estão demonstrando o nefasto peso que provocaram no mundo.
Rousseau e seus seguidores que se regozijem no inferno.

Em tempo: alguns leitores fizeram pesquisa no blog, a respeito da “prática usual” da França de dar asilos a ditadores.
Nunca escrevi sobre isso antes aqui, mas é verdade, a framssa é useira e vezeira em adular ditadores depostos.

 

 

 

Academias ao ar livre e médicos

Há uns 3 meses, pensei em me inscrever em uma academia de ginástica para não ser o único bípede desplumado que não participa dessa exigência moderna.

Encontrei aqui por perto uma, onde os alunos têm aulas particulares com professores. Nada daquela horda de gente gritando e competindo para ver quem sua mais, ao som gritarias estimuladas pela “professora” e por um pancadão ensurdecedor.

Fui muito bem atendido.
Pediram que eu levasse um atestado médico…. e o médico indicado pela academia recusou-me o atestado, pois minha saúde não é para ser desperdiçada com essa montoeira de exercícios físicos. Que eu continue apenas com o Pilates.

Acho super curioso tudo isso.

Para se ir a uma academia, exigem o atestado de um médico, para se isentarem de possíveis problemas que algum aluno venha a ter no recinto (o que é muito comum, basta ver a sucessão de notícias em sites de jornais que olham um pouco além do próprio umbigo do jornalista sentado em sua mesinha).

Agora, não entendo por que os grandes gênios da política (prefeitos de modo geral), enchem as cidades com essas academias ao ar livre, onde qualquer um vai, mexe naqueles aparelhos sem qualquer supervisão (faz exercícios que podem causar danos à coluna ou musculatura), e sem qualquer exigência de atestado de saúde.

Será que os prefeitos recebem alguma “verba especial” dos fabricantes dessas máquinas? Não duvido.

Por outro lado, acho curioso também que os médicos se preocupam tanto com a saúde dos habitantes, que conseguem, em muitas e muitas cidades, proibir (via câmara de vereadores, a instituição mais abominável que existe nesta rês-púbica plutocrática), que farmácias meçam a pressão das pessoas.
Dizem que isso é para “profissionais qualificados”.

Bem, já fiquei internado em um hospital, e a asquerosa doutora não chegava perto de mim. Do alto de sua sapiência, mandava (com o pior humor que lhe era concedido pelos demônios), que alguma “reles” técnica de enfermagem medisse minha pressão arterial, a temperatura, e todos aqueles procedimentos com que preenchem toneladas de formulários.

E por fim, nas farmácias não é permitido medir a pressão de quem, por alguma razão, sente o mal estar da pressão alta ou baixa,  mas em qualquer site de comércio ou em qualquer biboca, é possível comprar os aparelhos e fazer em casa mesmo o controle, não só da pressão, mas também de diabetes, colesterol, e outros tantos exames de rotina.

A máfia dos homens de branco podia ao menos ter coerência.

Vereadores e prefeitos podiam imiscuir-se menos na vida dos habitantes das cidades.

 

Ausência

Tenho me ausentado de comentários aqui no blog.

Também, com o nível de futilidades e de mentiras que “tsunameia” o mundo!

Prêmio Ignóbil da Paz para sindicatos, advogados, e outros que-tais, que são “louvados” porque hoje em dia a Tunísia é um lugar inseguro para mulheres sem véu, para turistas, para visitantes de museus, e que serviu de “exemplo” para o “priminferno árabe” que depois assolou Líbia, Egito, e destrói Síria e Iêmen.

Ou, corrup$$ão em todos os níveis de podrer no Brasil.
O bom é que hoje em dia assassinato de prefeitos (e ex-prefeitos) tem se tornado rotina. A escola de aprendizes vai sendo solapada. Um dia estaremos livres desse entulho autoritário da demagogia. É só esperar mais uns 200 anos.

A falta de assuntos relevantes é tão grande, dada a repetição dos fatos, que é melhor apenas olhar de longe.

a avenida mais feia do Brasil

Estou em São Paulo, a cidade que tem a avenida mais feia do Brasil, aquela onde o trânsito dia sim e outro também é interrompido pelos “manifestantes”.

coisa está simplesmente nojenta. Boa parte dela, perto da Praça Osvaldo Cruz, simplesmente não tem calçadas. As pessoas caminham sobre uma base de pedregulhos. É o cartão postal da cidade.

O meio da rua, como vocês sabem, está em-obrás (a estatal empresa estatal que desvia dinheiro com construções inúteis). O pior prefeito que já houve na cidade está construindo uma ciclovia, no lugar onde havia o canteiro central. Isso apesar de não ter havido qualquer estudo prévio, e apesar de engenheiros de trânsito dizerem que naquele espaço deveria ser utilizado por uma pista exclusiva para ônibus, sem as interferência de estacionamentos e de esquinas com conversões à direita, que retardam o fluxo dos ônibus.

Aos domingos, como em tantas outras cidades, parte da rua é interditada para o passeio dos burguesinhos descolados e “intelectualizados”, que circulam com suas bicicletas (eles chamam de outro nome, não sei como é, pois não entendo nheengatu).
Uma orientadora fica nos lugares onde há faixas para travessias de pedestres (que são obrigados a se aventurar de um lado esburaco para outro, no meio de tapumes). Ela estira uma bandeira vermelha, com a palavra PARE para informar os bicicretinos que eles têm de aprender a respeitar a sinalização de trânsito, e é que para parar quando os semáforos ficam com luz vermelha. Acho que os bicicretinos  são todos daltônicos, e não sabem a diferença entre vermelho e verde, ou o que significam essas cores, mundialmente, no trânsito.
Bem, mas bicicretinos não sabem tampouco ler. Pelo menos é o que me pareceu. Um deles não respeitou a área interditada pela monitora, e quase passou por cima de mim, propositalmente, enquanto eu atravessava, para ir à feirinha sob o MASP.
Xinguei o cara, e o sujeitinho ainda por cima se ofendeu eu, embora eu já estivesse do outro lado, ele ficou andando sobre a calçada , no sentido da contra-mão do trânsito, para me provocar.
Durou muito tempo, pois eu estava na feirinha, e o sujeito fica lá parado, no meio-fio, para me provocar todas as vezes que eu me aproximava da rua.

Bem, o que sei é que várias pessoas que estavam lá, donos de bancas ou passeadores, como eu,  viram o tipo de agressão do bicicretino, também o xingaram (inclusive com o palavrão que define os partidários do des-governo atual). Seguranças particulares da feira surgiram e puseram para o devido lugar, ou seja devolveram para a ciclofaixa do outro lado da rua, o bicicretino que se considera dono da cidade, e só conhece “deretchus”, mas não tem a menor noção do que sejam deveres.

Triste realidade da inversão de valores, e também a absoluta falta de educação e de respeito por quem tanto fala de “educação e de convívio”. Bicicretinos que se consideram acima das outras pessoas, enfrentando ônibus (morrem atropelados e fazem escândalo), e sobretudo que têm incontável desprezo por bípedes que andam a pé, e não montados em máquinas metálicas.
Quem anda em bando é bandido, gângster. Bem típico desse “pessoal descolado e intelectualizado”. Não à toa tem aumentado o número de assaltos feitos por esses quadrilheiros, e, embora as prefeituras e a enpreimça engajada omitam, começam a ser registrados em todas as cidades casos de pedestres atropelados por esses bicicretinos.

Nuvem de tags