Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘The Telegraph’

foto Rio de Janeiro

Encontrei esta imagem no jornal inglês The Telegraph.

Enviei a foto para alguns amigos, e houve quem se ofendesse:
– Deram mais destaque ao urubu do que à estátua!

Por que terá sido?
A culpa é de qual imagem?

 

A imbecilidade humana não tem limites

A famosa máscara do faraó Tutancâmon foi danificada de forma irreversível.

Se preferir, leia em inglês, a notícia no Telegraph.

Não é mesmo fabuloso sabermos que em um dos mais importantes museus do mundo usa-se durepox para colar objetos milenares que foram danificados?

O mais irônico é que os egípcios pleiteiam a devolução dos Elgin Marbles do British Museum. Na verdade, deviam entregar todos esses tesouros a algum museu norte-americano ou europeu (menos o Louvre) para guarda e exibição.

Espero que haja alguma técnica de raio laser que possa destruir o epóxi, sem danificar os outros materiais.  E os arranhões talvez se possa aquecer o ouro no local e redistribuir o material que tenha ficado nas bordas dos riscos.

Ficamos com o ensinamento de que essas velhas civilizações requintadas foram substituídas por descendentes de cameleiros que levantam os traseiros para adorar um meteorito guardado em Meca, decepadores de cabeça … Triste!

A dúvida que ainda fica: foi acidente ou foi proposital, como a que fizeram, há alguns anos, com canhões destruindo as imagens de Buda gravadas em pedras no Afeganistão, obra dos “queridos talibans” ?

Guias para turistas

Duas matérias me chamaram a atenção nos últimos dias:

Uma, de um cricrítico de turismo, reclamando do TripAdvisor e, por tabela, do bedandbreakfast.eu, por não terem muita “credibilidade”,

e outra sobre a interdição do açougue que pertence ao milionário e badalasíssimo “chef de cuisine” Jamie Oliver, por meras razões de sujeira e nojo.

Bem, senhores avaliadores de turismo, sabemos que vocês são pagos com mordomias e outras formas de suborno.

Já escrevi uma vez sobre isso aqui no blogue.

Pois quanto ao TripAdvisor, ainda bem que trouxe “democracia” para o turismo, junto com outros sites de reserva de hotéis, pousadas, etc..
Muito melhor sermos “enganados” por um cliente “deslumbrado” ou por um hóspede chato, do que por jornalistas despudorados.

É mais fácil selecionar o que é badalação e ostentação de um cliente, ou o que é mera burrice de alguém que acha que hotel é a “extensão de sua casa”, do que as avaliações de “especialistas”.

Quanto ao restaurante / açougue do Jimmy, ainda bem que lá existe vigilância sanitária. Por aqui, imagine quanta “gorjeta” donos de restaurantes famosos já deram aos fiscais.

Ah, as duas matérias, sem querer, confirmaram a afirmação de que -ismo é sinônimo de doença.
Jornalismo de turismo faz mal à saúde e ao bolso dos cidadãos.
Estúpido é quem acredita nessa associação. Mr. Alex Proud deve orgulhar-se de pertencer a ela.

 

 

Lugares odiados

O jornal inglês The Telegraph publicou uma matéria, em que um monte de celebridades (desconhecidas para nós) falou sobre lugares que odeiam.

Nunca tinha ouvido falar dessas celebridades, e tampouco de alguns desses alguns desses lugares.

Amigos comentaram qual impressão tiveram desses mesmos lugares.

Eis a lista:

  1. Las Vegas – nunca fui e não conheço ninguém que tenha gostado de conhecer a cidade;
  2. Kuala Lumpur – os ingleses não gostaram, eu não conheço e não pretendo ir até lá, brasileiros disseram que gostaram e curtiram a cidade;
  3. Dubai – tão visitada por certos brasileiros, é a marca registrada da breguice do planeta; contém a aura do consumismo, segundo um dos ingleses;
  4. Nova “Inhoque” – um dos ingleses definiu a cidade como superficial; a maioria dos brasileiros considera, porém, que lá é que está tudo de melhor no mundo; não faz meu gênero;
  5. Los Angeles – alguém bom da cabeça gosta de Los Diablos? feia, esparramada, com um trânsito de fazer inveja ao pior plutoniano;
  6. Viena – inamistosa; bem, eles não falam alemão, mas o dialeto próprio; os brasileiros que foram até lá gostaram da cidade; os que ainda não foram pretender conhecê-la;
  7. Mombaça (Quênia) – você faria uma viagem até lá? ou a Mombaça, no Ceará? conheço duas pessoas que já visitaram as praias e os focos de malária da cidade; poor people;
  8. Skegness – tive de procurar no google para saber que é um recanto de verão inglês; deve ser mesmo muito animada… ; nem devia estar na lista – podia ceder o lugar para La Paz, onde o pessoal, aquela cidade a respeito da qual os bolivianos dizem: Prefiero morir en La Guerra que vivir en La Paz;
  9. Hong Kong – um dos ingleses definiu com um cenário de Blade Runner; brasileiros que a conheceram dizem que é uma cidade com muita vida;
  10. Chittagong – eu aposto que o sonho de consumo de meus leitores seja fazer turismo em Bangladesh, não é mesmo?
  11. Délhi – todos os brasileiros que conheço, que lá estiveram, dizem que Nova Délhi é 0,25% melhorzinha; feia, mal acabada, com um trânsito caótico (lá sim é caótico!);
  12. Lutton – algum lugar perto de Londres; outra vez uma cidade que não deveria estar na lista – não faz sentido esse provincianismo na lista;
  13. São Paulo – a cidade em que nasci é idolatrada por quem mora lá; eu não a suporto; fico o menor tempo possível quando tenho de fazer alguma viagem até lá; alguns amigos comentaram que algumas regiões têm o seu charme, enquanto o restante parece entulho cheio de cinza;
  14. Seattle – parece tão simpática nos filmes americanos; talvez valesse a pena conhecer, apesar do clima eternamente chuvoso;
  15. Abu Dhabi – irmã gêmea de Dubai; não fui e não quero conhecer nem nas outras quarenta e cinco próximas “encadernações”;
  16. Reykjavik – eu ir até lá e correr o risco de encontrar a Björk na esquina? além do mais, passar frio não é meu esporte;
  17. Tóquio – os ingleses cujos comentários serviram de base para a matéria comentaram que não gostam de lugares muito grandes (só o Hyde Park, claro); a mim  impressionou muito, e me assustou muito – é o exagero do exagero do superlativo; alguns amigos disseram que quem não conhece Tóquio nunca conheceu uma verdadeira cidade em sua vida;
  18. Perth – é tão longe que nem os australianos sabem direito onde fica; não conheço e não pretendo ir até lá;
  19. Romênia – desde quando Romênia é cidade, seus inglesezinhos? Conheci o país há 30 anos, e garanto que era MUITO PIOR do que é hoje;
  20. Benidorm – vê se pode, um Camboriú piorado, perto de Valência, com esse nome de BeniDorme? Eu, heim… não conheço quem pretenda ir até lá.E você, quais suas impressões sobre essas cidades, e qual sua lista de as piores do mundo?

Nuvem de tags