Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘tradução’

Imagem

Señor Best Regards

IMG-20160608-WA0000

Faça

Faca voçê mesmo a tradussão, e haproveyte para herar.

IMG-20160526-WA0013

Como comentou um amigo, agora que alguns teclados têm dificuldade para o uso de Cedilha, …

Alcorão – e outras traduções

Em todo o livro Maomé, a tradução diz “Corão”, conforme o que foi utilizado no original inglês de Quran.

Parece que hoje em dia virou regra que seja a forma utilizada em livros e jornais, já que, conforme argumentam “os donos da língua”, Al é o artigo definido em árabe (e suas variáveis, conforme a consoante que segue).

Sim, e por que ainda escrevem:

Al-godão (al-kutun)

Ar-roz (ar-ruzz)

A-çúcar (as-sukkar)

Al-fândega e Ad-duana (al-fundaq e ad-diwan)

Al-môndega (al-bundqa)

Al-faiate (al-khayyat)

Al-mofada (al-mokhadda)

Al-face (al-khass)

???

Por que os “donos da moderna língua portuguesa” gostam de esquecer que Portugal e Espanha estiveram sob domínio árabe durante séculos, e incorporaram as palavras desse idioma de forma diferente dos demais países europeus?

Até 1950/1960, havia sido Alcorão, com o correspondente adjetivo “corânico”, que, tal como “cotonifício”, “cotonete”, “rizicultura”, e outros derivados, não tem o artigo definido, por não se tratar do substantivo original.

Parece, porém, que hoje em dia ninguém mais se interessa em estudar gramática histórica – muito menos os tradutores.

Se eles querem copiar o que se usa em inglês e francês, então, por favor, passem a escrever coton / godão, roz, çúcar, fândega e duana, búndiga, faiate, mofada, fass…

Ah, e só para aproveitar o gancho, aprendi com Karen Armstrong que sarraceno é uma palavra oriunda do grego “sarakenoi“, e significa os que vivem em tendas (tal como Kadafi, apesar de todo o dinheiro que tinha acumulado enquanto foi ditador).

tradução, plíz!

IMG-20160416-WA0001

Português ruim, inglês inventado.

maldito portunhol

ayuda?

Oral B IMG_20160326_162827862

 

e um produto daquele mesmo que garantia refrescância

Será muito difícil pagar um curso de português para os publicitários dessa empresa?

 

as mentiras que jorram na internet

Duas matérias no G1 mostram que mentiras jorram na internet mais do que petróleo no Oriente Médio.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/02/seu-frango-e-grande-brasileiros-travam-guerra-virtual-contra-cafe-em-dublin-apos-piada-com-erro-de-ingles.html

 

http://g1.globo.com/politica/noticia/2016/02/perfil-falso-na-wikipedia-e-citado-em-decisao-judicial-e-trabalho-academico.html

 

Se eu disser que dá vergonha, vão dizer que eu sou um vira-lata do “filósofo” Nelson Rodrigues.

Porém, é necessário observar que:

  1. a uiquipédia em português tem um comitê (coisa de partido esquerdopata de fundo de quintal) encarregado de manter a “pureza” (ideológica) dos artigos – mesmo que os textos na língua de uéslei safadão sejam diametralmente opostos ao que encontraremos nas versões da wikipedia em inglês, francês ou alemão;

2. a BBC é uma agênciazinha de notícias de trigésima oitava categoria, preocupada em manter empreguinhos para jornalistazinhos de quadringentésimo sexagésimo quinto grau, formados naziskolas da correção política, que pararam de lavar pratos em pubs londrinos e conseguiram outra ocupação, depois de os trabalhistas terem “aparelhado” aquela estrutura (que foi honrada e gloriosa no passado);

3. caradelivro é ponto de encontro de gente desocupada, que acredita que clicar em láiquis ou curtidas é útil;

4. tripaaívaissô, no Brasil, é um site de avaliações que, dominado por um grupo de hanauffábetickas alojadas no conforto do ar condicionado de prédio na Marginal Pinheiros, nos últimos dois anos, passou a selecionar os piores comentários para publicação, bem no estilo fútil das supervisoras, e sequer checa a existência ou não de um estabelecimento (já dei de cara com uma loja de roupa para bebês, no endereço onde as tripeiras diziam existir um restaurante – nunca tinha havido outro tipo de comércio naquele local!) – não tem e não merece credibilidade.

Resumindo:  que saudade de dona Sílvia, dona Celeste e outros que professores que anteriormente mencionei.

A Erde está tomada por gente com microcefalia funcional!
E a Tupinambalândia impulsiona o desastre planetário a passos de Hermes.

Como diz meu amigo Paulo, citando Cyperus Rotundus: não se preocupe, VAI PIORAR!

laticínios – de novo

O pior é que o google tradutor dava a tradução de “dairy” como laticínios (como é), e a tradução de “dairy products” como produtos diários.

Viva o pai dos burros!

Acho que algum oriental, que não consegue perceber a diferença entre L e R, trabalha no gúgou transleito (ou tranzrêito).

IMG-20160207-WA0000

Por que não escreveram queijo chalé? 

Nuvem de tags