Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘União Européia’

imprensa que mente para nada serve

A falha di çumpallo coloca como manchete que angelina devil sai fortalecida.

Cuméquié?

O partido dessa senhora CDU/CSU passou de 41,5% (311 cadeiras) para 32,9% (246 cadeiras) e saiu fortalecido?
Nuntendí.

Na frança, a micronette “ampliou” a margem de derrota no Senado. O partido “en marche” passou de 29 para 23 cadeiras.
En marche à ré, pois marketing não confirma eleitores.

Isso pode muito bem significar que os europeus comunitários não estão dispostos a continuar a dar confiança nesses líderes incensados pela enpreimça.
Claro, porém, que isso não será publicado nos meios de desinformação.

Pior, ainda, são os famosos “analistas” e os colunistas.
Deveriam procurar o divã de um analista para descobrirem qual a obsessão que lhes impede de escrever e/ou dizer a verdade.
Qual o nome dessa síndrome compulsiva de mentir que assola o mundo dos comunicadores?

Anúncios

a eleição do Trump, a imprensa, os analistas, etc e tal

Enviaram-me este texto:

Recado para a imprensa em geral:
Vocês esqueceram de fazer jornalismo para fazer campanha declarada em prol do Reino Unido se manter atrelado ao monstro burocrático que se tornou a União Europeia. Chamaram milhões de trabalhadores e pobres de xenófobos, disseram que era um absurdo o interior decidir algo tão importante, avisaram que seria o apocalipse na terra se o Brexit vencesse.
Perderam. O Reino Unido – se o establishment deixar – sairá da União Europeia. E está melhor do que nunca com isso.

Vocês esqueceram de fazer jornalismo para fazer campanha declarada em prol de um acordo do estado da Colômbia com as FARC, um grupo marxista terrorista que sequestrou e matou milhares de pessoas, acordo este que incluía cotas para terroristas na Câmara e no Senado colombianos, e taxaram aqueles contrários a esse acordo de intolerantes e contrários a paz.
Perderam. A Colômbia não quer terroristas no Congresso.

Vocês esqueceram de fazer jornalismo para fazer uma campanha ainda mais declarada e totalmente tendenciosa em prol de Hillary Clinton, apostando todas as fichas na eleição de uma das políticas mais corruptas da história dos Estados Unidos. Chamaram milhões de trabalhadores de brancos ignorantes, caipiras, burros, xenófobos, racistas, homofóbicos, machistas e toda sorte de invenção possível para elevar Hillary Clinton a um pedestal de santa enquanto Donald Trump era o demônio.
Perderam. Trump será o presidente, os republicanos terão a Câmara e o Senado. E elegerão a nova Suprema Corte.

Deixa eu contar algo pra vocês: a grande maioria das pessoas está pouco se lixando pra esse mimimi politicamente correto que vocês estampam a cada mínima coisa que alguém – que não seja de esquerda – faz que seja politicamente “incorreta”. As pessoas querem trabalhar, ter sua casa, seu carro, viajar, ver os filhos vivendo bem, envelhecer bem, enfim, ter uma boa vida. Mas fica difícil enxergar isso quando vocês só estão preocupados em procurar racismo, machismo, homofobia, xenofobia e similares em qualquer mínima coisa do dia a dia.

O resultado disso? Jornais fechando ou com queda nas tiragens por todo o mundo, mídia sendo cada vez mais contestada – graças às redes sociais, que vocês não controlam – e o povo fazendo nas urnas exatamente o contrário do que vocês passam meses defendendo de forma tão acintosa que chega a ser ridícula. Como disse um comentarista da americana NBC, fazendo um mea culpa ao vivo, vocês não estão ouvindo o que as pessoas estão falando, vocês estão tentando impor a elas o que elas devem falar.

A era da grande mídia como quarto poder está chegando ao fim. E se vocês não mudarem, jogando no lixo esse esquerdismo militante e entendendo que há liberais, conservadores e diversos outros pontos de vista na sociedade que devem ser ouvidos, serão extintos juntos com essa era.

THE NEWS WILL BE GREAT AGAIN. E cada vez dependerão menos de vocês.

Resumindo: O povo cansou de mentiras de políticos . Dizer que gosta de pobre, não convence mais.  Vale dizer a verdade

Hoje de manhã, ouvindo rádio na estrada, na Jovem Pan estavam entrevistando dois professores de Relações Internacionais. Não pude anotar seus nomes. Um deles disse, se houver guerra não será Trump que começará, mas os líderes que vão querer colocar manguinhas de fora porque os americanos estarão cuidando deles e não dos outros.

No caso do Brasil, mencionou que considera uma tremenda mentira o discursinho batido de que “é preciso inserir o Brasil no cenário internacional. Inserir não depende da ” boa vontade” dos outros, mas da competência do país em ocupar espaço. E Nunca um país que tem vergonha de ter forças armadas será digno de fazer parte do conselho de segurança da ONU.” E é claro, que no Brasil pós-88 é vergonhoso falar em forças armadas.

O Brasil quer cuidar do quintal dos outros? Com dois presidentes dos poderes retirados quase ao mesmo tempo, e ainda um outro em vias de ir pelo mesmo caminho? Quantos países tiveram DOIS impeachments de presidentes em menos de 30 anos?

Parece que os “analistas” que tanto fizeram propaganda pela campanha de Hillary, lá e cá, deveriam se preocupar em ser mais precisos, e menos partidários. Afinal de contas, -ista é sufixo de “seguidor” (dentre outras características),  e no caso parece que os “analistas” apenas seguem o ânus dos líderes.

parcialidade

A enpreimça brasileira é tão parcial, que noticia que algumas pessoas protestaram em Glasgow, pedindo novo plebiscito pró-separação da Escócia, mas não conta que, no mesmo dia, alguns milhares protestaram em Berlim contra a Führerin da desunião européia (aquela alemoa da Stasi).

O mais grave é que muitos brasileiro só se baseiam em uma fonte de deformação, e se acham informadas…

O mesmo comentário vale para quase tudo o que lemos sobre a eleição nos Estados Unidos, disputada entre a reencarnação de Catarina da Rússia e o clone de Hitler (ou seria de Mussolini?).

É sempre bom tentar ler os opostos… nem que seja só para poder comparar a auto-censura que jornalistas impõem, de acordo com sua ideologia.

 

a alemoa da Stasi

Sempre me declarei contra a política “multikulti” alemã (tentativa de se redimir do que fez na década de 1940), e sempre apontei que a alemoa da Stasi é uma quinta-coluna infiltrada no mundo ocidental, preocupada apenas com a expansão para o leste, que acabou destruindo a sonhada união européia.

Agora que diàriamente temos notícias sobre atentados na Alemanha e na França (mal conduzida por um socialistazinho que paga uma baba gigantesca para o cabeleireiro – com dinheiro público, é claro), será que o mundo começa a se dar conta de que a política da hipocrisia polìticamente incorreta está levando à destruição do que conhecemos como civilização?

Já sei, esses grandes líderes – inclusive os da América do Norte – são apenas sifilizados. Na origem e na formação.

Meus avós e bisavós vieram de diferentes partes do mundo para viver no Brasil. Integraram-se, não viveram em guetos e castas. Filhos e netos, inclusive, casaram “fora da comunidade”.  Já esses multikultis querem o oposto: quanto mais rótulos melhor (para eles).

 

BREXIT

Ainda bem que os britânicos tiveram o bom senso de optar pelo fim do casamento multilateral (suruba) chamado des-união européia.

Até que houve pessoas que reverteram o voto, por conta da martirização de uma deputada trabalhista. Uma maioria de 52% preferiu afastar-se de fato daqueles seres que vivem em Bruxelas, ditando regras burocráticas para valer sobre todas as decisões nacionais.

Frau(de)  Angela Merkel, a alemoa que promoveu durante anos a política teutônica do “espaço vital”, e fez a expansão exagerada e sem lastro, da União Européia para o Leste, que fique com seus filhotinhos que acolheu, da Polônia, Hungria, Bulgária, Romênia, … e que continue a abençoar os muçulmanos que ela tanto aprecia, para dar coerência ao bom-mocismo do multiculturalismo, mesmo que a longo prazo isso signifique o fim da cultura ocidental européia.

Essas gigantescas máquinas burocráticas de entidades multilaterais nunca atingem seus objetivos. Há décadas que o sistema ONU tem apenas usado viseiras para não ver a realidade. Ótimas perdulárias.

Espero que outros países retirem suas vendas dos olhos e seguiram os britânicos.
Cabe a nós, aqui, dar um gigantesco pontapé do traseiro desses trambolhos chamados merdocul, unacul, oea, e outros antros de parasitismo diplomático.

Ah, quanto aos “analistas”, foi curioso ver que as previsões de resultados, tão enfàticamente divulgadas pela “enpreimça livre”, furaram. Assim como as previsões de “economistas” que sempre fazem alardes catrastofistas (ou seriam castratofistas?).  A Grécia não está pior do que há um ano. Itália, França e Bélgica, porém, estão bem piores do que os palpites que deram aos outros.
Economistas são mais ou menos, no que se refere a fazer análises para o passado. São sempre ruins para prever o futuro. Jogos de tarô costumam acertar mais.

 

ONU?

um desses nababos da ONU disse que é cruel a situação em prisões do Brasil.

snif snif snif snif

O que será que ele tem a dizer da situação dos abusos sexuais que os funcionários da ONU fazem?

Nos primeiros 20 anos, a ONU – e seus organismos especializados – desempenhavam papel na manutenção da paz mundial.
Nos últimos 20 anos, a ONU – e seus penduricalhos – são vergonhosos cabides de empregos, onde “experts” produzem papéis, reuniões e viagens, e deixam tudo pior do que está.

Os escândalos envolvendo o sistema ONU são vários: Ruanda, Iugoslávia, Nigéria, Sudão, …

Já repararam que, desde que a “xineza de king-kong” Margaret Chan assumiu a organização mundial da doença, “nunca antes neste planeta” surgiram tantas explicações mal explicadas, sobre surtos de doenças?

Já repararam que a organização internacional da vagabundagem (OIT) só faz relatórios coitadistas sobre o trabalho?

Já repararam que o comércio internacional funciona APESAR da desorganização mundial sediada em Genebra, com suas rodadas e rolês?

Já repararam que o “clima” tem se mantido apesar de todas as cop’s que fazem?  E lembram que o ex-dono do ipcc é mais um dos acusados de abusos sexuais?

Já repararam que as “crianças” e a “educação” são sempre “prioridades” e sempre são relegadas a trigentésimo-octogésimo-sexto plano?
Os escritórios do unicef e da unesco, em Brasília, já foram cenários de verdadeiras histórias de horror.

Conheci um consultor da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), que serviu no SUDÃO, e desistiu do trabalho, pois o que os colègüinhas gastavam com festas, para não ficarem entediados, daria para alimentar muitas pessoas que passavam fome naquela região em guerra civil.

Foi criada uma casta de “funcionários internacionais” que se julga acima dos reles cidadãos dos países membros.

A desunião européia, comandada por aquela alemoa e pelo francês hollande, apóia um bando de burocratazinhos em Bruxelas que se consideram os juízes do mundo. Eles decidem quem “é gente” e quem “é descartável”. Sírios e afegãos são tratados de formas tão díspares que dá para desconfiar de algo errado nas políticas da “zoropa”. (por uns passa petróleo, por outros não)

E o que podemos falar de nossos organismos regionais (organismos amebas, bactérias, vírus?), como oea, mercosul, unasul, e outras aberrações que servem para defender politicagem esquerdopata?

Por favor, vamos parar de dar crédito a esses aproveitadores que sustentam agências de viagens, e enriquecem as empresas de máquinas fotocopiadoras.

Ah, quanto às cadeias brasileiras, o problema delas é que nóçus polítikus ainda não moram lá, pois lugar de bandido não é no meio da sociedade.
As empreiteiras (e empreiteiros)  deveriam investir mais no próprio conforto.

Time – man / person of the year

A revista Time faz anualmente a seleção da pessoa do ano. Não a mais importante, mas a mais relevante.

Este ano, 2015 (ainda), a ganhadora foi a alemoa da ex-DDR, treinada pela STASI para destruir a União Européia, Frau Angela Merkel.

Tudo bem, em anos anteriores, a revista escolheu a pior pessoa também como a grande personalidade.

Exemplos:

1931 – Pierre Laval (político francês que foi fuzilado em 1945), por ter agravado a crise financeira na Alemanha de Weimar, e deu mais mais fôlego à ascensão do nazismo em 1933;

1938 – Adolf Hitler, que no ano seguinte iniciou a Segunda Guerra Mundial;

1939 e 1942 – Josef Stálin – um amor de pessoa, como sabemos;

1979 – o aiatolá Khomeini, o homem que implantou a ditadura islâmica no Irã;

2015 – Frau Alemoa, que como vemos, está em boa companhia.

Outros nomes que receberam o título de “personalidade do ano” também podem ser questionadas, mas fico apenas com as mais óbvias.

“Time é de uma precisão absoluta”, como vemos.

A opinião dos jornalistas não raras vezes é o inverso do que o mundo necessita.

 

Nuvem de tags