Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘violência’

Turistas, outra vez

Nestas semanas lemos algumas notícias esperadas.

  • Turista morre ao se colocar em local proibido próximo a aeroporto, para tirar selfie de avião pousando (ou decolando, tanto faz), em ilha holandesa das Antilhas.
  • Turista derruba obra de arte em efeito dominó, fazendo uma maldita selfie.
  • Turista (passageiro) tem de ser impedido com garrafada na cabeça, porque tentava abrir a porta do avião em pleno vôo!
  • Turistas européias (com acento – faço questão) são esfaqueadas no Mar Vermelho, porque ignoraram o aviso de que o Egito não é mais lugar conveniente para se passear.
  • Turista cai de despenhadeiro.
  • Grupo de turistas é assaltado no no Rio de Janeiro.
  • Turista é esfaqueado no Amazonas.
  • Turistas se perdem em passeio na mata fora de trilha.
  • Grupo de turistas é assaltado em Pernambuco.
  • Turista paulista é morto a tiros em Minas Gerais.
  • Bombeiros procuram corpo de turista que se afogou.
  • Turista alemão é espancado no Pelourinho.
  • etc e tal

Pergunto: para ser turista tem imbecil?

Os ativistas guêis dizem que não se pode dizer homossexualismo, pois o sufixo ismo denota doença.

É verdade! Turismo, socialismo, nazismo, islamismo, petismo, gueizismo, …

Da mesma forma que existe a epidemia da doença das redes sociais, que “obriga” as pessoas a tirarem selfies em lugares turísticos, por mais óbvias que sejam as fotos. Como aquela de fingir que está “segurando” a Torre de Pisa.

Continuando:
essa gente horrível, fedida e encrenqueira que se espalha pelo mundo com o nome de turistas.

  • Pois nesta semana, todos os dias, TODOS, algum tupinambá fez besteira em outro país, e saiu reclamando que a cadeia no aeroporto não era igual a um hotel de cinco estrelas.
  • E olhe que o estrangeiro (sim, tupinambás lá fora são estrangeiros) ia ficar hospedado em um catre no abrigo de moradores de rua, que lhe tinha sido indicado por algum site especializado em turismo “radical”.
  • E aquela gente fedida que foi se sujar na neve reclamou que o aeroporto fechou! Imaginem só, aeroporto fechar por conta de mau tempo! Isso é perseguição contra os queridos tupinambás.
  • Também neste mês, fizeram todo aquele bafafá por conta da falta de passaportes.

Marido de Dona Dulce Maria de Castro Figueiredo, ressuscite e veja.
Lembra que no teu tempo, general, para se tirar passaporte e viajar era necessário pagar uma taxa de mil dólares, reembolsáveis ao longo da vida?

Pois é, hoje em dia tinha de haver uma taxa de 500 mil libras esterlinas cada vez que um tupinambá quisesse ir para outro país.

Sem reembolso!

E no caso de turismo interno, acho que cobrar uma taxa de lixo diária de 4 mil dólares seria conveniente.

Afinal de contas, turistas tupinambás deveriam ser primeiro adestrados em canis da polícia e só depois autorizados a sair por aí.
(Xineis i alemaum também… )   

 

 

Uma imagem mente mais do que mil palavras

Falso viral inunda redes sociais.

2014-02-26t130802z-40446429

Pois é, essa foto não é de Alepo e sequer é de 2016

No entanto, a todo instante as pessoas são inundadas com essas falsas informações (deformações), não apenas nas redes sociais, mas também nos principais meios de comunicação do mundo todo.

São freqüentes as fotos de crianças “famintas”, africanas ou asiáticas, organizadas em fila indiana para pedir comida, enquanto sorriem para o fotógrafo.
Ou filmes que mostram criancinhas tremulando bandeiras de seu país, como se isso fosse uma diversão para momentos de guerra.
Esse fotógrafo / câmera, que certamente está pleiteando algum polpudo prêmio de jornalismo, deveria sim ser processado por aliciamento de menores.

Quanta mentira…

No Brasil, uma das mais freqüentes mentiras é a de juntar uma pequena multidão atrás da imagem de repórter que fala de algum incidente ou acidente ou crime, enquanto a “massa ignara” grita, sob o comando de alguém que não aparece na imagem:  “jostissa, queremos jostissa, …” para a televisão.

Como escrevi em outras vezes, uma imagem mente mais do que mil palavras.

 

diferenças entre Brasil e Coréia do Sul

Recebi pelo whatsapp este vídeo (disponível no youtube), João e Kim, de autoria do economista e consultor Ricardo Amorim, sobre diferenças entre Brasil e Coréia do Sul.

 

Só que são necessários alguns comentários adicionais, para tanto simplismo:

Quantas semanas paradas ficam os professores coreanos?

Quantas pessoas se formam como bacharéis em deretchu, na Coréia, só para poder virar concurseiros e depois se encostar em um emprego do serviço público?

Quantos coreanos cursam faculdade educação física, para depois serem chamados de fessores nas academias de malhação?

Mais uma coisa: quanto vale um sindicalista na Coréia?

Quanto dinheiro a Coréia e os Estados Unidos gastam com Forças armadas? Quanto o Brasil pode gastar? Despesa que necessàriamente implica gastos com engenharia (e adicionalmente químicos, físicos, biólogos, matemáticos) e não com tribunais, bancas de devogadus, etc..

A diferença não é a escola: é a mentalidade de cabide de empregos.

Lembrei de um detalhezinho: na Coréia (como tampouco no Japão ou na China) vagabundo não pode bloquear as ruas com pneus queimados para defender bandidos.

Ou seja, diferenças entre Brasil e Coréia do Sul são um tema um pouco mais complexo do que o mostrado pelo consultor.

a truculença da puliça

ai, mais uma vez a falha uó faz matéria para falar da truculença da puliça.

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2016/11/11/em-10-anos-policia-do-rj-mata-quase-o-dobro-da-policia-de-todos-os-eua.htm#comentarios

esse peçonhalzinho não repara que ninguém mais dá crédito a esses defensores de bandidos,

que a enpreimça não é mais vista como formadora de opinião, mas como deformadora de valores,
é só ver os comentários dos leitores que ainda perdem o tempo lendo esse tipo de site de notícias

coitadinhos dos bandidos, coitadinhos dus deretchus dus manu, coitadinhos dos gehornallyztas que compactuam com os traficantes…

vai, capo, posta logo teu comentário, posta o que você herda da famiglia.

 

Desabafo

Ontem por whatsapp, recebi este desabafo de uma prima, que mora em São Paulo:

Esta semana realmente foi muito singular em minha vida: fui feita de boba, enganada, roubada, traída…. (muitas outras coisas aconteceram que não posso abertamente falar mas cada um que contribuiu para isso sabe o seu quinhão).
Tudo isso me fez pensar porque estas coisas aconteceram, qual a origem destes fatos?
E a resposta que não sai da minha cabeça é: VALORES.
FALTAM VALORES EM NOSSA SOCIEDADE.

Esta semana duas notícias em particular me CHOCARAM: um pequeno filhote de cachorro de 19 dias teve o seu pênis AMPUTADO para ser vendido como fêmea.!
Como assim? Para ganhar R$ 200 ou R$ 300 a mais amputa-se sabe-se lá em que condições o pênis de um bichinho!!!! E o que é pior, deixaram o bichinho doente, sem condições de urinar, pronto para a morte.

A segunda notícia quando li, acreditei em mais uma das lendas da internet. Não conseguia acreditar que isso poderia ser dito por alguém, em que pese ter tido uma qualificação acadêmica deficiente (será que teve?!), e que um dia governou este país por 8 anos.

Disse o dito molusco: “A profissão mais honesta é a do político. Sabe por quê? Porque todo ano, por mais ladrão que ele seja, ele tem que ir pra rua encarar o povo e pedir voto. O concursado, não. Ele se forma numa universidade, faz um concurso e está com o emprego garantido.”
Como assim? É permitido que um político seja ladrão? Isso é normal? Isso é ético?
Desmerecer alguém porque estudou, se preparou e passou em uma prova para exercer o serviço público?!?!

Quem fez a lei que um concursado não pode ser dispensado se não estiver prestando o serviço que a sociedade necessita? Se está certo ou errado não cabe a mim dizer.

Sou concursada sim e duas vezes. Mas cresci nas empresas em que trabalhei em função do meu esforço, da minha vontade de crescer e de ganhar mais. Todo dia acordo e chego ao meu trabalho com a vontade de dar o melhor de mim e de entregar todo o potencial que tenho e posso dispor. Mas não vou generalizar. Cada um sabe o que faz de sua vida.

Meu post hoje é em função da falta de valores em nossa sociedade.
A criminalidade cresceu porque? Porque o adolescente tem hoje valores distorcidos.
Porque o ter é muito mais importante do que o ser.

Fui assaltada por uma gangue de mais de 10 jovens em busca de qualquer coisa que pudesse acabar com a fissura por uma droga cujo efeito deve durar no máximo por meia hora. Mas o trauma que me causou com certeza vai durar muito tempo.

Hoje o jovem quer o celular da moda, o tênis top, a roupa de grife.
Mas e se seus pais só tem o dinheiro para colocar a comida na mesa. Esse adolescente não pode trabalhar, se alguma empresa o contratar para ser um aprendiz poderá ser multada em  valores estratosféricos.

Vocês podem me afirmar que existe o programa do menor ou jovem aprendiz.
Sim existe, mas quantas vagas estão disponíveis? Quanta burocracia existe para esta contratação ocorra? Quantas exigências existem para a micro e pequena empresa possa atender para aproveitar esta mão de obra?

Há uns meses atrás me deparei com a seguinte situação: um terceirizado deveria ser dispensado. Meu coração apertado me dizia para ajudar esta profissional, já que tinha alguns filhos para criar. Ao perguntar se queria ajuda para uma recolocação profissional ouvi que ia descansar uns meses pois teria a ajuda do seguro desemprego!!!

Postei sobre a devolução do meu celular e viralizou na cidade onde a pessoa mora. Essa que deveria ser uma atitude normal  é reconhecida como  uma atitude única num universo onde a lei de “Gerson” prevalece.
Aliás, Gerson que foi um jogador de futebol que jogou e ganhou na copa do mundo de 1970 nunca mais conseguiu fazer uma propaganda pois seu nome virou uma lei de um valor distorcido de nossa sociedade.

No final de semana passado, o local do meu trabalho foi vandalizado. Olhando as imagens é inacreditável o que vi.
Crianças e adolescentes, andando na madrugada de segunda-feira (03;20 hs) como se estivessem no calçadão de Copacabana. Mas estavam no centro velho de São Paulo, onde não existe absolutamente nada para ser feito. E andavam, olhavam para  uma janela de vidro e simplesmente resolviam esmurrar, chutar, bater. Porque? Por nada!!!! Pelo prazer da destruição!!!

Ao invés de vermos a união da sociedade, entrando em uma escola para pintar suas salas, consertar um telhado com vazamento, ou fazer uma comida decente para as crianças, vimos pais e alunos desrespeitando os professores, que com seus salários achatados estão ali por amor.

VALOR!!!! É na família que transmitimos os valores.
Honestidade, Amor ao próximo (ao Homem, aos animais, ao meio ambiente), Responsabilidade, Verdade, Responsabilidade e outros tantos que deixaram de existir.

Não tenho intenção nenhuma de mudar o mundo. Não tenho intenção nenhuma de estar certa, pois só quero ser feliz.
Mas tenho certeza que conseguiria ser mais feliz se vivesse em um mundo onde a ética e os valores prevalecessem….

Coloque o desabafo dela aqui no blog, pois gostaria que outras pessoas o pudessem ler.

 

E amanhã ?

Recebi este e-mail e o compartilho com vocês:

Hoje, meu neto trouxe à mesa de jantar o tema de dissertação da prova Simulado, que fez hoje pela manhã: indignação seletiva e a mídia.
Aí a conversa esquentou com as perguntas:
Quem se lembra da indignação contra o Estado Islâmico que estava degolando pessoas? Pararam de degolar?
E o menino sírio morto na praia? Esqueceram que o pai dele era coiote?
A lama do Rio Doce, onde foi parar?
Cadê o carro do Eike Batista que o juiz estava usando?
E o aquecimento global? Esfriou?
Agora estamos indignados com Trump, Dilma… E amanhã?

Um vídeo muito esclarecedor – Europe destroying itself

Recebi, e repasso por achar importante, vídeo sobre os refugiados que invadiram a Europa este ano.

Reparem que, aos 19 minutos, aquela senhora gorda retira do palco a bandeira de seu próprio país.

http://www.liveleak.com/view?i=8ce_1447076932

e dá-lhe multiculturalismo!

Qualquer “semelhança” com movimentos “sociais” aqui no Brasil não é mera coincidência.

Jovens europeus que parecem os mesmos alunos que invadem e depredam as próprias escolas no Brasil, dando vivas ao invasor.

Esquerda festiva que não sabe o tamanho do buraco que cavou.

 

Nuvem de tags