Um blogue mal humorado, com aversão ao abominável modismo do "polìticamente correto" (hipòcritamente mal-resolvido). Blogue de um cético convicto, com a própria ortografia.

Posts marcados ‘Lucro Brasil’

ovos de páscoa, de novo

Ouço e leio a mesma lenga-lenga de todos os anos:

os preços dos ovos de páscoa são abusivos!

Não entendo por que a brazucada ainda não aprendeu que essa modinha do chocolate já está superada.

Por que não deixam para comprar esse supérfluo depois que passar o feriado?
Pergunto, outra vez, desde quando ovo de páscoa é chocolate? Já fiz essa pergunta e a dei a resposta há dois anos…

Ai, você, ‘miga, você tem medo de perder o status em alguma rede social?

Igualzinho aos que reclamavam do preço do tomate há alguns anos…

O governo merece esse povo.

Cabra duma figa

Sabe o que é isso?

2015-02-19 20h16m50 cabra duma figa

Simples, uma redução de aceto balsamico com açúcar, com creme de queijo de cabra, figo fresco salteado na manteiga e lâminas crocantes de batata doce fritas.

Pode chamar de “cabra duma figa”.

É uma entrada que comi em um bistrô aqui perto do apartamento, que antecedeu um filé ao molho do porto, com ratatouille e purê de mandioquinha (ou, como dizem alguns, batata baroa).
Se eu disser o quanto paguei pela refeição, vocês ficarão ofendidos com os preços baratos, abaixo de R$ 50,00 no total!
Aliás, não direito baratos, mas JUSTOS.
O chef-proprietário do bistrô tem uma característica raríssima: cobra o preço justo, e não os preços abusivos que caracterizam a maior partes dos estabelecimentos do tipo, preocupados com o “lucro brasil”, para enriquecerem logo e caírem fora do país que naufraga por conta desses “empresários” e por conta do público que adora pagar preços escorchantes, pois “fica bem com a galera” da ostentação.
Resumindo: não é explorador, como uns e outros restauranteiros que querem ficar ricos com a fome dos clientes.
Questão de comportamento.
Depois, alguns concorrentes vão lá para saber porque a “clientela cativa” deixou de freqüentá-los e passou a comer no botequistrô (boteco bistrô), já que, com sua equipe, também vende o melhor hambúrguer de todo o Cerrado.
Ser Classe A é saber pagar pouco, não “uzói da cara” para fingir que dinheiro lavado torna alguém mais rico.

O mais interessante dessa entrada, o “cabra duma figa”, é que contém os cinco sabores: amargo, ácido, salgado, doce, e umami, que, para quem não sabe, é o quinto sabor.
O crocante da batata apresenta os sabores salgado e amargo, que resulta da queima do carboidrato.
O figo é a porção doce do prato.
O queijo de cabra é amargo, salgado, contém intensidade e pungência no sabor.
O aceto balsamico é ao mesmo tempo doce e ácido.
Eles se complementam e casam, elevando o sabor de cada um.
Na confluência desses quatro sabores, estes elevam-se do prato a ponto de culminar em um prazer gastronômico e desmascara o quinto sabor, o umami.
O umami, mais conhecido por nosso familiar glutamato monossódico, é sentido nas papilas do fundo da língua, e concentrações desse sabor podem ser obtidas em alimentos como queijão parmesão envelhecido, algas marinhas, tomate e alguns tipos de carne.

O proprietário-chef trabalha com a ficha técnica de preparação, que é ensinada nas escolas de gastronomia para se avaliar o custo de cada prato, mas que é solenemente ignorado pelos empresários do lucro-brasil.
A ficha técnica calcula direitinho os preços cobrados. Falarei mais sobre esse assunto em outros post aqui no blogue.
Justamente porque, como já antecipei acima, a maioria dos restaurantes acredita que cliente não tem noção alguma dos preços dos elementos que compõem um prato. Ledo engano. Temos de explorar esse “calcanhar de aquiles” dos “chefs” que, por exemplo, usam e abusam do tal “menu degustação”, para subsidiar suas (deles) viagens de turismo em que copiam o que vêem, e fazem compras de roupas e bebidas para revender aos incautos. Salafrários em todos os sentidos – tentam também enganar no paladar.

o lucro Brasil – parte 3

Enquanto estive fora, fui com um amigo almoçar em um restaurante alemão.
Aqueles que servem chopinho, batatinha, repolhinho, e salsichinha de boi e de porco.

Tudo produto sofisticado, claro, difícilimos de serem produzidos e encontrados.

.

Comemos 4 salsichas (duas de cada cor), não havia mostarda escura (só aquela mais vagabunda que se encontra no super-mercado de bairro de periferia).
Eu tomei uma cerveja importada – Paulaner Erdinger 500ml – 20 reais – preço normal de cerveja importada, até mesmo em bra3ylha.
Meu amigo tomou uma água mineral.
.
Sabem o preço do lanche (que podia ter sido feito em um carrinho de cachorro quente)?
R$ 177,00!
.
Isso mesmo – CENTO E SETENTA E SETE REAIS – sem apfelstrudel (que subira a conta para uns 300 reais) nem cafèzinho..
.
A sensação que tenho é de que o país já acabou e está em estado de putrefação.
Mas a turminha do instagram e das cumunidadjis çossiau ainda não percebeu isso.
Ninguém reclamou do restaurante nos sites de viagens e turismo Ao contrário, todos os deslumbrados estavam satisfeitos.
Afinal de contas, dinheiro sujo não precisa ser guardado na carteira porque pode sujar a roupa.
.
À noite compensei: fiz um lanche de 13 reais numa cadeia que tem nome de metrô. Foi muito mais saboroso do que aquelas salsichas e aquela batata chocha. Só mesmo o sauerkraut (que os framssezis deformaram para chucrute) estava bom.
.

o lucro-Brasil – parte 1

Fui fazer exames médicos, os mesmos de sempre, que faço a cada quatro meses.
A fulana me deu o preço: R$ 2.200,00 e abobrinha.
Faço sempre, e sei que o preço não pode ser isso tudo.
Perguntei pelo gerente da unidade.
– Está de férias.

Levantei-me e fui ao laboratório que fica exatamente ao lado.
Preço: R$ 1.033,00.

Já sei o por que do lucro-Brasil!
No de mil-réis você tem pouca variedade de comidinha.
Só biscoitos e pão de queijo.
Aquela máquina que serve café, chocolate, capucino e e água quente para chá.
Pega quanto quer, porque não tem ninguém para isso.
No chiquitoso, tem mais variedade de comidinha.
Nem sei o que, mas tem uns biscoitinhos a mais e uma banana.
E fica uma fulana controlando do que e quanto você vai se servir.
Deve ser para pagar o salário dessa funcionária que dá a diferença de R$ 1.200,00
no custo dos exames.

djapanízifuddi

Almocei ontem em um desses trecos de djapanízifuddi que abundam pelo braziu.
Que troço sem graça.

Qualquer um é a mesma coisa.
Aquela algazinha enrolando um pouco de arroz, um monte de cream cheese para quem gosta de estragar comida,
um pedaço de isopor tingido de cor de salmão, criado em “fazenda”,
ou algum outro pedaço de peixe cru.

Não parece nada com a comida japonesa que eu comia na casa da Taeko-san,
na década de 70.

Se qualquer bolinho de carne hoje em dia é chamado de comida libanesa,
comida japonesa é sinônimo de isopor com requeijão, molho de soja e raiz forte (que eles gostam de chamar de wassabi, como se fosse a mesma coisa).

Olha, em Goiânia ainda dá para encontrar um ou outro lugar com comida com mais jeito de tradicional.
Comida quase típica de um país.
Aqui em brazylha, até cachorro quente conseguiram estragar.
A podridão du pudê se espalha por todos os setores.

Pior, porém, é restaurante xineis.
A gente precisa tapar o nariz na hora de passar na frente de um deles…
Indisfarçável fedentina de resto sendo servido aos comensais.
A preços de Paris, claro.

u natáu foe rúe

U natáu foe rúe, é mermo?

Vendas de natal tem pior crescimento desde 2003.

A grande vantagem é que não foi só lá em cão-pinas,

como diriam os bítous, foi here, there and everywhere.

Que bom, espero que no ano que vem nem exista mais natal.

Que o comércio (e seu lucro brazil) quebre.
Junto com aquele sujeito multi-caras que é misto de vice-governador, de ministro, de empresário, de alimentador do sonegômetro, do impostômetro, e da associação comercial da 25, 26, 27 e adjacências.

E que os desgovernos fiquem sem ter de onde arrancar impostos para pagar as ladroagens generalizadas.

O país de fato merece um ano pior a cada ano.

Como diz um primo: saiu um xineizinho do buraco. Acho que agora sim estamos perto do fundo do poço.

E ao contrário do que dizem economistas, não é por mudança cultural, não.

É que o dinheiro acabou!

 

a bica de café vai subir para um euro

Segundo matéria publicada no Jornal de Notícias de Lisboa, o preço da bica de café, actualmente em 65 cêntimos de euro, poderá ter uma subida de 50%, nos próximos seis meses, em decorrência da seca no Brasil, maior productor e exportador do grão.

Com isso, estima-se que a bica de café passará a custar 90 cêntimos!!

E os nossos irmãos lusos estão pasmos, pá!

90 cêntimos de euro são R$ 2,90, ó gajo! muito menos do que cobram aqui na capital fedemal do grande productor, estás a perceber?

Não encontro lugar que cobre menos de R$ 3,00, mas em geral R$ 4,00 por xícara de um café xexelento que dizem ser grãos moídos na hora.
Café 4 FFFF – fraco, frio e com formiga no fundo!

Há uma semana, sentei-me em um lugar no Terraço Shopping e pedi, ingênuamente, um café com leite duplo e um pedaço de bolo.
Sabem quanto deu a continha? R$ 24,00!! Estás a perceber? € 7,46!!!

Aqui perto do apartamento, há uma casa que vende bolos caseiros por R$ 10,00 a unidade (R$ 12,00 os mais elaborados). Unidade eu quero dizer a peça inteira que saiu da fôrma (assadeira). Pois na quadra ao lado uma outra casa vende tortas caseiras por R$ 10,00 a fatia!!! (R$ 11,00 algumas delas). Isso parece ser a regra em todos os ramos de negócio, em todas as cidades.

Este país é mesmo uma roubalheira!

Deve ser o custo do transporte, claro, o tal custo-Brasil da infra-estrutura difícil, das estradas com pedágios altos, das ferrovias sucateadas, das hidrovias impedidas de funcionar por conta de ONGeiros, os impostos, os aluguéis, a complicada legislação trabalhistas, os juros elevados, etc.. Só isso, claro.

O custo-Brasil não pode levar em conta da GANÂNCIA do lucro-Brasil.

Que caia logo um asteróide sobre esta parte da Terra que se chama América do Sul, para salvar o resto da Via Láctea.

Nuvem de tags